Publicidade

Estado de Minas

Em busca de foro no Supremo, ministro do Turismo já defendeu o fim da regalia

Durante campanha em 2018, Marcelo Álvaro Antônio postou no Twitter peça publicitária em que disse ter votado a favor do fim do foro privilegiado


postado em 22/02/2019 14:19 / atualizado em 22/02/2019 14:53

(foto: Reprodução/Twitter)
(foto: Reprodução/Twitter)
Há cinco meses, antes de saber que um dia poderia precisar do foro privilegiado, o então candidato a deputado federal pelo PSL e hoje ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, defendeu o fim do benefício restrito a autoridades brasileiras. 


Durante a campanha eleitoral, o candidato usou o Twitter para dizer que apoiava o projeto de lei que previa a extinção do foro privilegiado na Justiça. A mensagem foi postada em 18 de setembro do ano passado, e trazia ainda os dizeres “eficiência, ficha limpa e combate à corrupção”.

“Quem me conhece sabe que, como parlamentar, sempre ouvi as pessoas antes de tomar decisões . Para quem ainda não conhece meu trabalho, eis minha posição diante de importantes votações que passaram pela Câmara”, escreveu o deputado, junto a peça publicitária que cita a posição favorável à cassação do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, à abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff (PT) e à investigação contra o Michel Temer (MDB).

O hoje ministro integrou a comissão especial da Câmara dos Deputados que aprovou o projeto de fim do foro. Mas na quinta-feira, Marcelo Álvaro Antônio pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) assuma as investigações sobre candidaturas laranjas do PSL em Minas Gerais, com a sua participação. Por fazer parte do governo Jair Bolsonaro, ele teria o chamado foro privilegiado.

Hoje o caso está sendo investigado pelo Ministério Público de Minas. A defesa do hoje ministro alega que o suposto desvio de verbas durante a campanha eleitoral teria ligação com o mandato parlamentar.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade