Publicidade

Estado de Minas

Definição sobre 13º salário dos servidores fica para quarta-feira

Governo cancela reunião com representantes de servidores sem marcar novo encontro, mas secretário promete que será comunicado 'algo concreto' até o meio da semana


postado em 15/12/2018 06:00 / atualizado em 15/12/2018 11:20

Governo também deve decidir no meio da próxima semana se estende a nova escala de pagamento aos demais servidores do estado (foto: Leandro Couri/EM/D.A PRESS)
Governo também deve decidir no meio da próxima semana se estende a nova escala de pagamento aos demais servidores do estado (foto: Leandro Couri/EM/D.A PRESS)


Os cerca de 600 mil servidores públicos mineiros seguem sem saber se terão parte do 13º salário pago este ano ou se ficará tudo para a gestão do próximo governador, Romeu Zema (Novo). A reunião sobre o assunto, que havia sido marcada desde a semana passada para ontem, foi cancelada pelo governo de Minas faltando menos de duas horas para ocorrer. Sem marcar uma nova data, o Executivo promete agora comunicar “algo concreto” até a próxima quarta-feira.


Até ontem, não houve nenhuma reunião dos representantes do governador Fernando Pimentel (PT) com a equipe de transição de Romeu Zema para tratar do assunto. Com base em diagnóstico sobre a situação fiscal do estado, apresentado esta semana, a equipe de transição acredita que o governo petista não deve conseguir pagar o benefício natalino, e esse gasto extra de R$ 2,450 bilhões deve sobrar para a próxima gestão.

De acordo com o secretário de Relações Institucionais, Carlos Calazans, a suspensão do encontro do comitê de representantes dos servidores e do estado, que seria ontem, ocorreu porque a Secretaria da Fazenda não conseguiu chegar aos números necessários para definir o pagamento. Em comunicado aos sindicatos, ele disse que o cancelamento foi “em virtude do acompanhamento do fluxo de caixa do estado”. Na nota, o governo não fala em nova reunião, prometendo divulgar um “comunicado”.

“O governo segue fazendo todo o esforço necessário a respeito do fluxo de caixa, mas como não tinha ainda esse fechamento financeiro de tudo, preferimos suspender”, explicou. De acordo com Calazans, o estado também vai informar se conseguirá estender a nova escala de pagamento de dezembro, relativa ao salário de novembro, para todo o funcionalismo.

O governo confirmou ontem uma parcela “extra” de R$ 2 mil para todos os funcionários da segurança e para os que trabalham na Fhemig, Hemominas e Ipsemg. Assim como os policiais militares, estes também terão mais R$ 2 mil na conta em 21 de dezembro. Até a semana que vem, tal pagamento pode ser estendido a todo o funcionalismo, mas ainda não há confirmação. Os servidores mineiros receberam anteontem a primeira parcela, de R$ 2 mil. Pela escala divulgada inicialmente pelo governo, válida para todos, o restante do contracheque será pago em 28 de dezembro.

As categorias seguem mobilizadas e pressionando diante da insatisfação com os atrasos. Nas últimas semanas, funcionários da saúde fizeram protestos na Cidade Administrativa. Os policiais civis pararam o Detran da Gameleira e, junto com os militares, se reuniram na Praça da Liberdade na quinta-feira em ato para reclamar o 13º. O Sindicato dos Servidores Públicos (Sindpúblicos) convocou uma paralisação na segunda-feira.

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade