Publicidade

Estado de Minas

Moro chega a condomínio onde mora Bolsonaro para discutir ministério

Da reunião pode sair o convite oficial de Bolsonaro para que Moro assuma o Ministério da Justiça ampliado, que incluiria também a a área de segurança pública


postado em 01/11/2018 08:54 / atualizado em 01/11/2018 09:24

(foto: PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP)
(foto: PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP)

O juiz Sérgio Moro chegou na manhã desta quinta-feira ao condomínio na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, onde mora o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Os dois vão conversar sobre o convite feito para que Moro para que ele assuma o ministério da Justiça.

Ao chegar ao rio, Moro, juiz   da 13ª Vara Criminal de Curitiba,  responsável pela primeira instância da operação Lava-Jato, disse que o país precisa  de uma agenda anticorrupção.

Moro foi convidado pelo economista e futuro ministro da Economia, Paulo Guedes,  na semana anterior ao segundo turno. Nessa quinta-feira, de acordo com interlocutores próximo ao presidente eleito, Bolsonaro lhe fará o convite oficial. Moro teria confidenciado a assessores próximos que estaria  disposto a assumir o cargo.

O encontro com Bolsonaro deve contar também coma presença do vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão.

O encontro acontece três dias depois de Bolsonaro afirmar que pretende convidar o magistrado para assumir o ministério da Justiça.

Novo ministério


No desenho esboçado pela equipe de Bolsonaro, o novo ministério da Justiça seria mais abrangente e incluiria a área de Segurança Pública - que tem sob seu comando a Polícia Federal -, mais a Secretaria da Transparência e Combate à Corrupção, a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

 

Chegada ao Rio


Moro chegou antes das 8h desta quinta-feira ao Rio de Janeiro, para a reunião com o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

O juiz desembarcou diretamente na pista de pouso, de onde partiu para a casa de Bolsonaro em carro da Polícia Federal (PF) e falou apenas com a Rede Globo que o acompanhou na viagem.

De acordo com o site G1, o magistrado disse que a motivação de seu encontro com Bolsonaro se dá em razão de o País precisar de uma agenda anticorrupção e contra o crime organizado.

"Se houver a possibilidade de uma implementação dessa agenda, convergência de ideias, como isso ser feito, então há uma possibilidade. Mas como disse, é tudo muito prematuro", disse Moro à reportagem da Globo. Durante o voo, o juiz chegou a dizer que ainda não há nada definido. "Ainda vai haver a conversa", emendou.

Na tarde dessa quarta-feira (31), a colunista Sonia Racy, do jornal O Estado de S. Paulo, disse que Moro aceitará o convite de Bolsonaro porque assumirá um ministério da Justiça ampliado. ( Com Estadão Conteúdo)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade