Publicidade

Estado de Minas

Zema credita vitória no 1º turno ao 'cansaço' dos mineiros com os 'políticos de sempre'

O candidato se diz confiante na vitória sobre Antonio Anastasia (PSDB) no segundo turno, já que o tucano representaria os ''políticos de sempre''


postado em 07/10/2018 21:40 / atualizado em 07/10/2018 21:49

Zema anunciou, caso eleito, o compromisso de não convocar nenhum deputado estadual ou federal para assumir cargos em seu governo(foto: WhatsApp/Divulgação)
Zema anunciou, caso eleito, o compromisso de não convocar nenhum deputado estadual ou federal para assumir cargos em seu governo (foto: WhatsApp/Divulgação)

Primeiro colocado na disputa pelo governo de Minas Gerais, o empresário Romeu Zema (Novo) creditou a expressiva votação nas urnas ao "cansaço" dos mineiros com os "políticos de sempre". Para ele, a escolha de sua candidatura é uma oportunidade para que os mineiros fiquem "livres da administração que prejudicou o estado". O candidato se diz confiante na vitória sobre Antonio Anastasia (PSDB) no segundo turno, já que o tucano representaria os "políticos de sempre".



Caso eleito, Zema anunciou o compromisso de não convocar nenhum deputado estadual ou federal para assumir cargos em seu governo. "Terei um secretariado 100% técnico. Os secretários serão escolhidos da mesma forma que uma empresa. Vamos selecionar no mercado", assegurou.

Zema ainda disse que as atuais 21 secretarias serão reduzidas para Nove, mas não citou quais serão elas. Sobre a Cemig e a Copasa, informou que a proposta é entregar a gestão para funcionários de carreira.

A estimativa é que o Novo conquiste três cadeiras na Assembleia Legislativa. De acordo com Zema, ele terá um diálogo aberto com os 77 deputados estaduais, mas adiantou que não aceitará conchavos nem transformar o governo em um "balcão de negócios".

Questionado sobre a importância de uma articulação com o Legislativo até para a aprovação de projetos de interesse do Palácio da Liberdade, Zema disse que será transparente e, se for preciso, apontará via impressa qual ou quais deputados se negam a aprovar um projeto importante para Minas. "Não tenho rabo preso com ninguém", argumentou.

Zema chegou para a coletiva de imprensa por volta das 21h, quando o seu nome já havia sido confirmado matematicamente no segundo turno. Ele chegou ao centro comercial alugado às pressas pela campanha acompanhado do candidato a vice-governador, Paulo Brant, o candidato ao Senado, Rodrigo Paiva, e o vereador Matheus Simões. Dezenas de militantes do Novo o esperavam no local.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade