Publicidade

Estado de Minas

Clima de tristeza e perplexidade toma conta de comitê central do PT em BH

O espaço reúne dezenas de militantes e filiados ao partido que acompanham a apuração. Eles lamentaram o fato de Dilma Roussef e Fernando Pimentel não serem eleitos


postado em 07/10/2018 19:44 / atualizado em 07/10/2018 21:20

Militantes e filiados acompanharam a apuração no comitê(foto: Marcos Vieira/EM/D.A.Press)
Militantes e filiados acompanharam a apuração no comitê (foto: Marcos Vieira/EM/D.A.Press)

O comitê central do Partido dos Trabalhadores (PT) em Belo Horizonte é marcado pela tristeza e perplexidade na noite deste domingo. Localizado na Rua Timbiras, no Centro da cidade, o espaço reúne dezenas de militantes e filiados ao partido. Eles lamentam os resultados das urnas apuradas até aqui, que apontam para a desidratação de Dilma Rousseff, candidata ao Senado, e para a derrota de Fernando Pimentel, concorrente ao governo do estado, ainda no primeiro turno. A entrevista coletiva que seria realizada no local por Pimentel foi cancelada.

O possível revés da ex-presidente é apontado como uma surpresa para os militantes. "Minha crítica é principalmente ao sistema, recheado de diversos partidos que são mais do mesmo. O que há de novo  no partido Novo? Enquanto não tivermos uma reforma política, o cidadão será a vítima", analisa Abelar Quintiliano, filiado ao partido.

Na opinião do também militante Jorge Simões, o momento representa um reflexo do impeachment, classificado por ele como um golpe. "No geral, o que aconteceu com a Dilma age de forma estrutural. A gente teve uma dificuldade de mostrar o grande potencial do Pimentel devido a este fato", explica.  Ainda segundo ele, as redes sociais contribuíram a favor do partido, ao democratizar o debate e permitir que a discussão chegasse a mais eleitores. Por outro lado, a disseminação de fake news prejudicaram a campanha.

Para Valquíria Gomes, no entanto, o resultado não representa perdas para o partido. "O morador lá do sertão do país sabe o que é que a gente está falando, então não foi uma perda. É o PT lutando contra tudo e contra todos os poderes que existe neste país", ressalta.

 Na frente do comitê, eleitores de Jair Bolsonaro (PSL) passam buzinando e provocando os petistas, que também retrucam. Nos prédios vizinhos, gritos a favor do militar também são entoados em direção ao prédio gerenciado pelo PT. Um microfone, mesas e um backdrop com os candidatos do partido permanecem intactos ao lado de uma TV, na qual os militantes acompanham a apuração. Adesivos e folhetos não foram distribuídos e permaneceram guardados dentro do comitê.

Até 19h40, 71,69% das urnas em Minas Gerais já tinham sido apuradas. O candidato Romeu Zema (Novo) liderava a corrida pelo Governo com 44,02% dos votos. Em segundo estava Antônio Anastasia (PSDB) com 29,16%. Os resultados indicam segundo turno entre os dois candidatos. Fernando Pimentel (PT) figurava em terceiro, com 21,84%.

Já na corrida pelo Senado, o candidato Rodrigo Pacheco (DEM) liderava com 21,06% dos votos. Em segundo, vem o Jornalista Carlos Viana (PHS) com 20,47%. Os dois estariam eleitos. Em terceiro está Dinis Pinheiro (Solidariedade), com 18,33%. A candidata Dilma Rousseff (PT) está na quarta posição, com 14,64%.

(foto: Marcos Vieira/EM/D.A.Press)
(foto: Marcos Vieira/EM/D.A.Press)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade