Publicidade

Estado de Minas

Por falta de segurança, Bolsonaro chegou a pausar caminhada em Juiz de Fora

Presidenciável voltou à aglomeração após pedidos de 'volta'


postado em 09/09/2018 07:00 / atualizado em 09/09/2018 09:14

(foto: RAYSA LEITE/AFP)
(foto: RAYSA LEITE/AFP)

Não se sabe ao certo de onde Adelio Bispo de Oliveira saiu para ir até a caminhada de apoiadores do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, no Centro de Juiz de Fora, momentos antes do ataque. O que se sabe é que, por muito pouco, o ato de campanha não foi encerrado ainda no início do trajeto pela rua da cidade da Zona da Mata, justamente por falta de segurança no local. Depois de participar de um almoço convocado por empresários de Juiz de Fora, o candidato foi até o Parque Halfeld para a caminhada. Depois de ser saudado pela multidão que o seguia, Bolsonaro subiu no capô de um carro que o levava e imitou armas com as mãos.

A caminhada, então, começou. Após percorrer apenas 130 metros no meio dos seguidores, Bolsonaro foi levado às pressas até a Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa), que fica no prédio da Câmara Municipal. O motivo da interrupção do ato foi a falta de segurança. Pessoas que estavam no local relataram ao Estado de Minas que era difícil caminhar, já que a aglomeração em torno do candidato do PSL era grande. Cerca de dois minutos depois da pausa, o presidenciável atendeu aos pedidos de “volta”. Deixou o prédio e retornou à Rua Halfeld. Da Câmara até o cruzamento com a Rua Batista de Oliveira, local em que Bolsonaro foi esfaqueado, são mais 350 metros. Distância suficiente para a aproximação de Adelio, que driblou policiais federais que faziam a segurança do candidato e esfaqueou Bolsonaro.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade