Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Partido Novo se prepara para oficializar Amoêdo candidato


postado em 04/08/2018 17:28

Uma Volkswagen Brasília laranja "recebe", na entrada do auditório da Amcham em São Paulo, filiados e pré-candidatos na convenção nacional do Partido Novo, que vai formalizar na tarde deste sábado, 4, a candidatura de João Amoêdo à Presidência.

O carro ano 1974, com adesivos 'Vamos renovar Brasília', não é o único adereço que remete ao passado na convenção do partido. As primas Ana Vitória e Letícia Santos, naturais de Araxá (MG), estavam vestidas com trajes de época para tirar fotos com candidatos do Novo antes do início da convenção.

No auditório, com a tradicional camisa laranja do Novo, Letícia lamentou não estar mais com as roupas do século 19. "Eu estava representando Chica da Silva e minha prima, Dona Beja de Araxá, que é a terra do nosso candidato em Minas", disse, em referência ao empresário Romeu Zema.

Lúcia Helena, assessora do candidato a deputado estadual por Minas Gerais Adriano Pimenta, disse que partiu dela a ideia. "As meninas deram um show em Belo Horizonte", comentou.

Estes elementos contrastam com o discurso de renovação dos líderes do partido.

Ao tirar o blazer azul para colocar por cima da camisa social a camiseta branca o logotipo em laranja do partido e a inscrição "candidato", o escolhido para ser vice de Amoêdo, Christian Lohbauer, disse ter orgulho de vestir peça. "Você consegue ver alguém com coragem de vestir a camisa do MDB?", questionou.

Lohbauer disse que a meta do partido é participar dos debates e explorar as redes sociais. "Esta é a renovação. Na TV, vamos ter no máximo 7 segundos. Temos de ir por este caminho", afirmou.

Ele disse também que acredita que o Novo deve conseguir eleger este ano uma bancada de seis deputados federais. "Não temos alianças e não somos nanicos. Somos novos entrantes", disse.

O técnico de vôlei Bernardinho, um dos mais famosos nomes do Novo e que foi aventado como postulante ao Planalto, usou uma metáfora esportiva para justificar a candidatura de Amoêdo. "É do jogo perder ou ganhar. Não vamos fazer alianças com pessoas que não compartilham as ideias conosco", disse.

O candidato do Novo ao governo de São Paulo, Rogério Chequer, negou que haja conversas para apoiar o candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro. "Isto está fora de cogitação", disse.

A advogada Janaína Paschoal sugeriu a aliança com Amoêdo, que descartou este acerto. A coautora do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff recusou neste sábado a vaga de vice na chapa de Bolsonaro.

Amoêdo vai discursar por volta de 17h30. Antes deles, apoiadores do partido e candidatos aos governos estaduais vão falar no palco.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade