Publicidade

Estado de Minas

Marcio Lacerda recusa vaga no Senado em coligação petista


postado em 01/08/2018 21:36

Belo Horizonte, 01 - O ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda anunciou nesta quarta-feira, 1º, que não aceitará a vaga ao Senado na coligação firmada entre PT e PSB. Por meio de nota, disse que foi surpreendido pelo presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, com a decisão de retirar a pré-candidatura pessebista ao governo de Minas Gerais.

PT e PSB chegaram a um acordo em nível nacional em que os pessebistas prometeram manter neutralidade no primeiro turno das eleições, em outubro. Pela aliança, Marcio Lacerda retira a candidatura ao Palácio da Liberdade para apoiar a reeleição do governador Fernando Pimentel (PT), enquanto em Pernambuco, os petistas rifaram a candidatura de Marília Arraes para apoiar a reeleição de Paula Câmara (PSB).

"Recebi esta comunicação com indignação, perplexidade, revolta e desprezo", declarou Lacerda, após passar a tarde em reunião com o presidente nacional do partido e com presidente do diretório estadual, João Carlos Grossi Lobo. O ex-prefeito também reclamou que Siqueira havia dado diversas declarações de que a candidatura em Minas Gerais era uma das prioridades do PSB.

Na nota, Lacerda declarou que já havia percorrido quase 200 cidades pelo interior de Minas Gerais "para construir uma alternativa viável e concreta para enfrentar os problemas graves e sérios". "Conseguimos criar uma real e concreta possibilidade à polarização que domina Minas Gerais há quase vinte anos".

Fontes ouvidas pela reportagem afirmaram que Marcio Lacerda estava muito perto de selar uma aliança com o MDB para unificar uma candidatura de "terceira via" na disputa pelo Palácio da Liberdade. O DEM, do pré-candidato Rodrigo Pacheco, também era esperado para entrar nessa coligação "alternativa".

Com o acordo em nível nacional selado, a presidente do PT em Minas Gerais, Cida de Jesus, comemorou a decisão. "Torcemos para que ele (Marcio Lacerda) venha caminhar junto e criarmos uma grande frente para impedir que o golpe chegue a Minas e dificulte a governança, como aconteceu nesses anos de Fernando Pimentel", declarou. A presidente do diretório estadual do partido minimizou as críticas feitas por Lacerda e ainda espera que ele entre na coligação.

Também por meio de nota, o PSB em Minas Gerais afirmou que apoiará a candidatura de Fernando Pimentel, mas que "tem entendimento contrário a essa decisão". O PT também anunciou o acerto por meio de nota. A sigla afirmou que Pimentel esteve na articulação desta aliança e que o atual governador inicia o mês de agosto "com muita força política".

(Jonathas Cotrim)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade