Publicidade

Estado de Minas

Juízes veem 'intenção escusa' de manifestantes que jogaram tinta no Supremo

Nesta terça-feira, 24, cerca de 20 manifestantes que pediam 'Lula livre' jogaram tinta vermelha na entrada da Corte máxima


postado em 24/07/2018 19:24 / atualizado em 24/07/2018 20:53

A Polícia Federal vai investigar o ataque(foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
A Polícia Federal vai investigar o ataque (foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
Brasília e São Paulo - A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), maior entidade representativa da magistratura nacional, das esferas estadual, trabalhista, federal e militar, repudiou em nota pública "os atos de vandalismo" na sede do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília. Nesta terça-feira, 24, cerca de 20 manifestantes que pediam 'Lula livre' jogaram tinta vermelha na entrada da Corte máxima e depois saíram em duas vans. A Polícia Federal vai investigar o ataque.

"A AMB tem advertido, em diversas oportunidades, para os riscos que a democracia brasileira tem corrido e reitera os seus posicionamentos para denunciar a intenção escusa dos ataques frequentes ao Poder Judiciário, na clara tentativa de constranger a Justiça", diz o texto da entidade da toga, subscrito por seu presidente, Jayme de Oliveira.

"Não se pode admitir, sob qualquer pretexto, atos de vandalismo como este que atinge a mais alta instância do Judiciário brasileiro. A AMB reafirma a defesa da do Estado Democrático de Direito e entende que atos dessa natureza não podem permanecer impunes."

(Rafael Moraes Moura, Teo Cury e Luiz Vassallo)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade