Publicidade

Estado de Minas

Depois do rompimento com MBD, Pimentel busca apoio do PCdoB

Participação do governador em evento do PCdoB indica reaproximação com o antigo aliado para a sua campanha de reeleição


postado em 24/06/2018 07:30 / atualizado em 24/06/2018 07:38

Encontro do PC do B em Venda Nova. Na foto, o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel e Wadson Ribeiro, deputado federal do PC do B.(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Encontro do PC do B em Venda Nova. Na foto, o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel e Wadson Ribeiro, deputado federal do PC do B. (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Ao lado de algumas das principais lideranças do PT em Minas Gerais, o governador Fernando Pimentel (PT) fez questão de participar ontem de evento do PCdoB mineiro para discutir as eleições deste ano. A presença de petistas na reunião é uma sinalização da reaproximação das duas legendas – até então estremecidas em razão da pré-candidatura da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) ao Senado e possível indicação da outra vaga de senador na chapa para o MDB. O imbróglio foi gerado porque o PCdoB não abre mão da candidatura da deputada federal Jô Moraes a senadora.


Com as chances cada vez mais remotas da presença do MDB na chapa à reeleição de Pimentel, o espaço da parlamentar estaria garantido. Em discurso durante o evento, o governador pediu o apoio dos comunistas. “Só posso continuar (no governo) e resistir se vocês estiverem ao meu lado”, afirmou ele, para logo depois enaltecer a importância de Jô ser eleita para uma das vagas de Minas Gerais no Senado. O governador ponderou ainda que o PCdoB é um “companheiro” de longa data e que, “evidentemente” gostaria de manter a aliança nestas eleições.


O presidente estadual do PCdoB, deputado federal Wadson Ribeiro, reconheceu que o caminho natural da legenda é ficar com Pimentel, mas ressaltou que o partido vem mantendo conversas também com o ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (PSB). O socialista, no entanto, é cotado também para se candidatar a vice-presidente na chapa encabeçada por Ciro Gomes (PDT), o que ainda poderia mudar o quadro eleitoral em Minas. A convenção do PCdoB para definir candidatos e alianças está marcada para 4 de agosto.


Já a presidente do PT em Minas, Cida de Jesus, ainda torce para a participação do MDB na chapa e afirma que há espaço “para todo mundo” na disputa majoritária – até porque, ainda há a indicação para vice-governador. Ela sinalizou a possibilidade de Dilma e Jô Moraes concorrerem ao Senado, uma vez que são duas vagas. “São duas mulheres com uma história em Minas, batalhadoras. E os mineiros vão saber responder com gratidão às duas”, disse.

 

Salário na conta

O governador Fernando Pimentel (PT) assegurou ontem que a segunda parcela do salários dos servidores da rede pública estadual será paga amanhã – conforme escala anunciada pelo governo no início do mês. “Vamos cumprir a escala que está marcada; dia 25 agora tem outro pagamento da segunda parcela”, afirmou o petista, que participou de encontro do PCdoB em Venda Nova região Norte de Belo Horizonte. Questionado se não havia a
possibilidade de atraso, conforme ocorreu na primeira parcela, ele foi enfático: “Até agora não tem nada nessa direção”. A segunda parcela do salário é paga aos funcionários que têm vencimento entre R$ 3 mil líquidos e R$ 6 mil líquidos. A diferença de valores para quem recebe mais de R$ 6 mil será paga em 29 de junho, de acordo com a escala.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade