Publicidade

Estado de Minas

Filho de José Alencar se coloca à disposição do PR par ser candidato


postado em 29/05/2018 19:06

Brasília, 29 - O empresário mineiro Josué Gomes, dono da Coteminas, se colocou nesta terça-feira à disposição do PR para ser candidato a qualquer cargo majoritário nas eleições deste ano. Filho do ex-vice presidente José Alencar, ele disse se sentir "honrado" de ser lembrado pelo partido para compor uma chapa nacional, mas afirmou que uma eventual candidatura terá de surgir de forma "natural". Ele ainda defendeu uma união dos partidos de centro na disputa presidencial deste ano.

Josué evitou, porém, cravar qual cargo elegeu como prioridade para disputar e disse que ainda há muito tempo para conversar sobre o tema. "De mineiro, vocês não arrancam esse tipo de resposta", brincou, na entrevista concedida após participar de encontro com 18 dos 41 deputados federais do PR.

Na disputa nacional, o PR tem hoje planos que vão desde ele ser cabeça de chapa apoiado por legendas de centro, entre elas, DEM, PP, PRB e SD, a vice de algum outro presidenciável. A legenda também cogita lançá-lo como candidato a senador ou a vice-governador em Minas Gerais.

O empresário afirmou que todos os pré-candidatos de centro lançados até agora "são bons". "O (presidente da Câmara, Rodrigo) Maia é bom, o (ex-ministro da Fazenda Henrique) Meirelles é bom, o (empresário) Flávio (Rocha) é bom", afirmou. Questionado se toparia ser vice do deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), Josué afirmou que não pode cogitar essa possibilidade. "Não conheço o deputado Bolsonaro. Tive com ele uma única vez. Então, não posso nem cogitar isso", afirmou.

Militante

"Candidatura, para ser de fato viável e forte, tem que ser natural. Nunca ingressei num partido político pleiteando ser candidato a A, B ou C. Pelo contrário. Sou militante do partido, vou tentar ajudar naquilo que eu puder", afirmou Gomes em entrevista Antes do encontro, o empresário almoçou com outras lideranças da sigla, entre elas o ex-deputado Valdemar Costa Neto, que comanda a legenda.

Josué disse que, como qualquer brasileiro, ficaria honrado em ser candidato à Presidência da República, mas ponderou que a decisão de uma candidatura não pode ser individual: é primeiro do partido e, depois, das forças políticas que se aglutinam. "Qual brasileiro não ficaria honrado de ser presidente da República ou de disputar a presidência? Acho que todos ficariam honrados. Mas não se trata disso. Isso não é uma pretensão pessoal. Não pode ser encarado dessa maneira.", declarou.

O empresário mineiro defendeu que os partidos de centro precisam estar unidos, pois esse campo político "pode contribuir muito com o País". "Muitas vezes o centro é visto até de maneira pejorativa e, na verdade, como dizia São Tomás de Aquino, a virtude está no centro. E se o centro estiver unido, tem muitos bons nomes no centro.", disse. "Sou militante do PR e, obviamente, o PR que vai decidir como ele quer participar da eleição agora que se avizinha.", disse.

Josué ressaltou que se encontrou com a bancada do PR hoje para agradecer a "acolhida generosa" que teve no partido. E disse que, "como militante, estou à disposição". "Sou um cabo eleitoral do partido. Nos Estados em que puder ajudar, serei um cabo eleitoral.", afirmou, ressaltando que é um cidadão e um empresário "preocupado com o Brasil". "Como cidadão e empresário, nessa quadra de perplexidade por que passa o Brasil, estou preocupado.", declarou.

Além de se reunir com os deputados do PR, Josué conversou na Câmara com o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O deputado fluminense tem coordenado discussão de possível aliança eleitoral entre alguns partidos de centro, entre eles, DEM, PRB, PP e SD. Apesar de ser pré-candidato à Presidência, Maia tem demonstrado nos bastidores empolgação com uma aliança em torno de Josué.

Ainda na Câmara, o empresário foi cumprimentado por deputados do PT, entre eles, Paulo Teixeira e Carlos Zarattini, ambos do PT de São Paulo. Josué tem uma boa relação com os petistas. Seu pai foi vice-presidente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O nome do empresário mineiro chegou, inclusive, a ser cotado como possível vice de Lula. A prisão do líder petista, contudo, inviabilizou a aliança.

(Igor Gadelha)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade