Publicidade

Estado de Minas

Resistência e Lulinha: Acampamento de Lula em Curitiba já tem até mascotes

As duas cadelas foram adotadas pelos apoiadores do ex-presidente que permanecem em frente ao prédio da Polícia Federal desde que ele foi preso


postado em 16/04/2018 10:30 / atualizado em 16/04/2018 10:50

Resistência está sendo cuidada pelos integrantes do acampamento de Lula(foto: Reprodução Twitter)
Resistência está sendo cuidada pelos integrantes do acampamento de Lula (foto: Reprodução Twitter)

O acampamento em frente à sede da Polícia Federal, em Curitiba, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso desde o último dia 7 já tem duas mascotes: Resistência e Lulinha. O vídeo em que uma das vira-latas aparece com uma integrante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra foi divulgado na manhã desta segunda-feira pelo PT.

“Esse acampamento do Lula é uma coisa muito legal e de uma solidariedade imensa. Tem algumas coisas que são especiais, essa cachorrinha se chama Resistência, ela foi encontrada na rua e o pessoal de São Bernardo do campo adotou, já está de roupinha, estão dando comida”, apresenta a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann.

Segundo a manifestante que segura a cachorra, os vizinhos do acampamento ajudaram com ração. Gleisi diz que há outra adotada que “saiu para passear” e se chama Lulinha.

 

O acampamento em frente à PF tem gerado de fato muita resistência. O Sindicato dos Delegados da PF do Paraná e a Prefeitura de Curitiba já pediram a transferência do ex-presidente para acabar com a presença dos apoiadores do petista em frente ao prédio da polícia. De acordo com ambos, os manifestantes estariam atrapalhando e causando risco aos moradores locais e aos funcionários da PF.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade