Publicidade

Estado de Minas

Além do triplex, Lula acumula outros 7 inquéritos na Justiça

Lula foi condenado, no caso do apartamento do Guarujá (SP), a 12 anos e um mês de prisão, por decisão do TRF-4


postado em 05/04/2018 06:00 / atualizado em 05/04/2018 08:12

Reforma em sítio de Atibaia (SP) feita por empreiteiras pode causar a próxima condenação de Lula(foto: Marcio Fernandes/Estadão Conteúdo)
Reforma em sítio de Atibaia (SP) feita por empreiteiras pode causar a próxima condenação de Lula (foto: Marcio Fernandes/Estadão Conteúdo)

Além da condenação relacionada ao triplex no edifício Solaris, no Guarujá, que gerou a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 12 anos e um mês pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, o petista ainda responde a outros inquéritos na Justiça. Ao todo, são sete inquéritos, sendo que apenas o do apartamento no litoral paulista está em fase mais avançada, já julgado em segunda instância. Os outros ainda não foram avaliados nos tribunais.

A expectativa é de que a próxima condenação de Lula seja definida em breve pelo juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara de Curitiba, envolvendo o processo do sítio em Atibaia. Neste caso, Lula é acusado de receber vantagens ilícitas da empreiteira Odebrecht. Confira quais são as acusações que ainda pesam sobre Lula:

Tentativa de obstrução da Operação Lava-Jato:

Ao lado do ex-senador Delcídio do Amaral (Sem partido), Lula responde à acusação de tentar comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

Tráfico de influência, organização criminosa e lavagem de dinheiro:

Inquérito ligado à Operação Zelotes. O filho do ex-presidente Luís Cláudio e o próprio petista tiveram o bloqueio de bens de até R$ 24 milhões pedido pelo Ministério Público Federal (MPF).

Tráfico de influência:

Ministério Público Federal (MPF) acusa Lula de ter atuado para liberar verba do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para obra realizada pela Odebrecht, em Angola. Também respondem ao inquérito o sobrinho de Lula Taiguara Rodrigues o empreiteiro Marcelo Odebrecht e outros oito investigados.

Corrupção passiva:

A acusação é de que o ex-presidente teria aceitado promessa de recebimento de vantagem indevida, por meio de recursos ilegais, quando ainda ocupava a Presidência da República. As montadoras Caoa e MMC teriam sido favorecidas com edição de medida provisória.

Corrupção passiva:

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é réu sob a acusação de receber propinas por meio de reformas no sítio Santa Bárbara, em Atibaia. Segundo a acusação, Odebrecht, OAS e Schahin, por meio do pecuarista José Carlos Bumlai, gastaram R$ 1,02 milhão em obras no sítio em troca de contratos com a Petrobras. O imóvel foi comprado no fim de 2010, quando Lula deixava a Presidência, pelos empresários Fernando Bittar e Jonas Suassuna.

Lavagem de dinheiro e corrupção passiva:

Lula é acusado nesse processo de ter sido supostamente beneficiado no esquema de cartel e corrupção da Petrobras com o acerto de R$ 12,4 milhões em propinas da Odebrecht. O valor seria usado para compra de terreno que serviria de sede para o Instituto Lula.

Compra de aviões:

Lula também responde a processos na Justiça Federal do Distrito Federal. Um deles apura suposto tráfico de influência de Lula na compra, pela Força Aérea Brasileira (FAB), de aviões militares suecos. Nesta ação o juiz Ricardo Leite surpreendeu a defesa do ex-presidente ao determinar a apreensão de seu passaporte, decisão que acabou revogada.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade