Publicidade

Estado de Minas

Pacheco diz não saber se será mais fácil ou difícil vencer eleição com Anastasia

O pré-candidato do DEM ao governo de Minas reconheceu que pode perder o apoio de algumas legendas, mas garantiu ser competitivo


postado em 02/04/2018 14:22 / atualizado em 02/04/2018 15:08

Pacheco comandou a reunião estadual ao lado de Rodrigo Maia(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Pacheco comandou a reunião estadual ao lado de Rodrigo Maia (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Apoiado até o mês passado pelo senador Antonio Anastasia (PSDB), o pré-candidato do DEM ao governo de Minas Gerais, deputado federal Rodrigo Pacheco, afirmou na manhã desta segunda-feira (2) não saber se a campanha ficará mais fácil ou mais difícil tendo o tucano como adversário. Após presidir reunião do partido com a presença do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o pré-candidato afirmou ter um projeto consistente para ganhar as eleições.

“Não sei se fica mais difícil ou mais fácil (a disputa eleitoral com Anastasia candidato). Essa é uma avaliação que o eleitor e a sociedade terão no momento oportuno, quando as candidaturas se apresentarem”, afirmou. Depois de muita resistência, Anastasia confirmou a aliados, na véspera da filiação e lançamento da pré-candidatura de Pacheco pelo DEM,  que vai disputar o Palácio da Liberdade .

Pacheco diz ter confiança de que uma candidatura colocada fora da polarização entre PT e PSDB, “de maneira independente” e com “discurso unificador”, possa ser vitoriosa. “Acredito muito que uma candidatura com esse perfil possa ser consistente para ganhar as eleições”, disse. O pré-candidato disse ser direito de Anastasia disputar a eleição, mas lembrou que até pouco tempo contava com o apoio dele. Por isso, afirmou acreditar que será uma disputa sadia.

O dirigente e pré-candidato admitiu que pode perder o apoio de algumas legendas, também alinhadas com Anastasia, mas disse não ver prejuízo. "Isso pode acontecer, mas não é algo que nos deixe temerosos. Ao contrário, tendo um partido da envergadura do DEM e de oturos partidos que podem estar consoco nessa coligação majoritária, temos uma candidatura absolugtamnte competitiva seja com quem for", disse.

O novo presidente do DEM afirmou que cerca de 20 pessoas se filiaram ao partido depois de sua entrada – ele saiu do MDB por falta de apoio à sua pré-candidatura ao governo. De acordo com ele, a reunião foi para abrir a legenda a novos nomes. “Tivemos de maneira muito emblemática uma filiação em série de pessoa que nunca pensaram em ser políticos e hoje passam a integrar um partido como condição essencial para uma candidatura a deputado estadual e deputado federal, mas mais do que isso, para integrar um projeto político apresentado a Minas Gerais”, disse.

Pacheco disse que o partido está convidando parlamentares com mandato para integrar o DEM. Um deles é o deputado federal Bilac Pinto, que ficou de pensar. O parlamentar afirmou que a legenda também terá filiações em série de prefeitos este mês.

Rodrigo Maia disse ter vindo a Belo Horizonte participar da primeira reunião do DEM com Pacheco como presidente para mostrar que o partido dará todo o apoio e sustenação para viabilizar a candidatura do dirigente ao governo de Minas Gerais. "É isso que nos interessa", afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade