Publicidade

Estado de Minas

Rodrigo Pacheco deixa MDB e critica possível aliança com Pimentel

O pré-candidato ao governo, que se filia ao DEM na segunda-feira, alegou 'divergência ideológica'


postado em 13/03/2018 18:01 / atualizado em 13/03/2018 18:30

Pacheco vai mudar de partido para concorrer ao governo de Minas(foto: Lucio Bernardo Jr. /Agencia Camara)
Pacheco vai mudar de partido para concorrer ao governo de Minas (foto: Lucio Bernardo Jr. /Agencia Camara)

O pré-candidato ao governo de Minas Gerais, deputado federal Rodrigo Pacheco, oficializou nesta terça-feira (13), a saída do MDB e afirmou que a desfiliação se deu por causa da “divergência ideológica” com forças do partido. Com data marcada para se filiar ao DEM – o evento será na segunda-feira (19) – o parlamentar fez questão de deixar claro que sua mudança de partido ocorre por causa de uma possível reedição da aliança do partido com o PT, do governador Fernando Pimentel.

“Percorri toda Minas Gerais, na companhia do presidente Antônio Andrade e dos coordenadores regionais, verdadeiros guerreiros, buscando o caminho da candidatura própria do MDB ao governo do Estado. Infelizmente, prevaleceram outras forças do partido, que levarão à reedição da equivocada aliança com o PT na eleição desse ano”, afirmou Pacheco em carta dirigida aos “amigos e amigas do MDB”.

O pré-candidato ao governo disse que sua desfiliação ocorre “com aperto no coração” e diz ter a “plena e tranquila consciência” de que honrou o partido. “Honrei também os valores históricos do MDB, como os de independência, coragem e respeito à democracia. Até mesmo nos momentos de divergência ideológica mais agudos, como a que agora motiva minha saída, mantive o respeito absoluto aos meus pares, algo próprio da minha personalidade”, disse.

Pacheco foi praticamente forçado a sair do MDB por causa de uma articulação da bancada estadual do partido, que conseguiu adiar as prévias partidárias pela candidatura ao Palácio de 17 de março para 1º de maio. A data é posterior ao período em que são permitidas as trocas de partido pelos candidatos, que se encerra em 6 de abril.

Além de adiar as prévias, os membros da Executiva do MDB colocaram os nomes do presidente da Assembleia, Adalclever Lopes, e do deputado federal Leonardo Quintão como opções para disputar, caso a legenda tenha realmente candidatura própria. O grupo também passou a defender publicamente o nome do empresário Josué Alencar como o mais forte para concorrer nas eleições no lugar de Pacheco.

Parte do MDB ainda defendia o nome de Rodrigo Pacheco para disputar o governo. Um grupo de 52 coordenadores regionais da legenda marcou para sábado (17) uma reunião para reafirmar o desejo de candidatura própria e o desconforto com a aliança com o governo Pimentel.

Leia a carta de Pacheco ao MDB


Amigos e amigas do MDB,

É com aperto no coração que venho até vocês comunicar a minha desfiliação do partido.
No MDB, fiz amigos e companheiros de primeira hora, os quais me ajudaram muito nesta minha breve trajetória política.
Tenho a plena e tranquila consciência que honrei a agremiação com um mandato de deputado federal digno, bem aprovado e a serviço do interesse público.

Honrei também os valores históricos do MDB, como os de independência, coragem e respeito à democracia.
Até mesmo nos momentos de divergência ideológica mais agudos, como a que agora motiva minha saída, mantive o respeito absoluto aos meus pares, algo próprio da minha personalidade.

Percorri toda Minas Gerais, na companhia do presidente Antônio Andrade e dos coordenadores regionais, verdadeiros guerreiros, buscando o caminho da candidatura própria do MDB ao governo do Estado.
Infelizmente, prevaleceram outras forças do partido, que levarão à reedição da equivocada aliança com o PT na eleição desse ano.

Neste instante, para mim, fala mais alto o compromisso com o Estado de Minas Gerais, hoje destruído pela pior crise da sua história.

Agradeço ao presidente Antônio Andrade, aos membros da executiva, aos colegas parlamentares e aos dedicados funcionários do partido.

E faço, por fim, um AGRADECIMENTO ESPECIAL à base e militância do partido, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, coordenadores regionais, líderes políticos e filiados, essência mais pura do MDB. A vocês, o meu carinho e um até breve.
Rodrigo Pacheco

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade