Publicidade

Estado de Minas

Prefeitos vão à Cidade Administrativa cobrar recursos de Pimentel

De acordo com a AMM, o estado deve cerca de R$ 3 bilhões aos municípios. Dívida cobrada inclui repasses da saúde, transporte escolar, ICMS e IPVA


postado em 31/01/2018 09:46 / atualizado em 31/01/2018 10:31

O encontro dos prefeitos na Cidade Administrativa está marcado para manhã e tarde de sexta-feira(foto: Euller Junior / EM / D.A. Press)
O encontro dos prefeitos na Cidade Administrativa está marcado para manhã e tarde de sexta-feira (foto: Euller Junior / EM / D.A. Press)

As recentes cobranças dos prefeitos mineiros por atrasos e recursos retidos pelo governo de Minas Gerais vai chegar à porta do governador Fernando Pimentel (PT). Os gestores vão nesta sexta-feira (2) à Cidade Administrativa passar a tarde discutindo a crise financeira no auditório JK. Na pauta do encontro, que já tem mais de 400 prefeitos confirmados, segundo a Associação Mineira de Municípios, está a “quitação da dívida do governo do estado com as administrações municipais”.

A mobilização, segundo programação divulgada pela AMM, vai durar das 9h às 15h. Ainda de acordo com a entidade, os atrasos nos repasses do governo do estado a partir do início de 2017 agravou os efeitos da crise nos municípios. A dívida do governo de Minas com as prefeituras chega a R$ 3 bilhões e inclui recursos nas áreas de saúde, transporte escolar, IPVA, ICMS.

O presidente da AMM e prefeito de Moema Julvan Lacerda (MDB), disse que o encontro será para pressionar o governador a acertar as contas com as prefeituras. “ Já tentamos todas as tentativas: reuniões com secretários e o governador, mobilizações com os prefeitos, encontros com os deputados da bancada mineira, envios de ofícios ao governo e até agora não tivemos resposta definitiva do estado quanto à quitação da dívida conosco e a regularização desses repasses. Este evento será um apelo para Pimentel enxergar, definitivamente, que estamos pedindo os nossos direitos constitucionais, que são os repasses que pertencem aos municípios mineiros”, afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade