Publicidade

Estado de Minas

PCdoB vê 'processo de exceção' em segunda condenação de Lula


postado em 24/01/2018 19:48

Brasília, 24 - Aliado histórico do PT, o PCdoB divulgou nota nesta quarta-feira, 24, na qual critica a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e atribui a condenação do petista em segunda instância a um "processo de exceção".

"A condenação do ex-presidente Lula em segunda instância pelo TRF-4 nesta quarta-feira (24) é um arbítrio, o ponto culminante de um verdadeiro processo de exceção. Desde a primeira instância, o processo foi conduzido sem levar em conta o princípio básico do juiz natural; em nenhum momento foram apresentadas provas de qualquer tipo de que o tal tríplex é de propriedade ou esteve em posse do ex-presidente. Não há qualquer ato de ofício que demonstre que ele beneficiou a empresa em questão, dentre muitas outras inconsistências largamente demonstradas pela defesa", afirma o texto, assinado pela presidente da legenda, a deputada Luciana Santos (PE), e pela pré-candidata do partido à Presidência, Manuela D'ávila.

"No momento em que é cometida essa violência contra o Estado Democrático Direito, o PCdoB abraça Lula e a militância do PT, e reafirma a convicção de que deve prosseguir a luta para que as próximas instâncias do Judiciário revertam este arbítrio, permitindo que o ex-presidente dispute livremente as eleições, garantindo que todos os brasileiros e brasileiras tenham assegurado seu direito de votar livremente", diz o texto.

O partido mantém a defesa pelo direito do petista ser candidato, embora tenha lançado Manuela como alternativa do campo de esquerda. Segundo a líder do partido na Câmara, a deputada federal Alice Portugal (BA), não há o que se falar sobre a possibilidade de uma eleição sem Lula enquanto houver a possibilidade de recursos. "O PCdoB tem a sua candidata, mas foi ponta de lança de que o ex-presidente possa se candidatar", disse. "O PCdoB precisa efetivamente se colocar com o seu perfil, mas sempre de olho na unidade. Nós temos lado."

(Thiago Faria)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade