Publicidade

Estado de Minas

Lula evoca guerra de Canudos ao criticar presidente do TRF-4

O ex-presidente será julgado no dia 24, pelo tribunal. Ele apela da sentença de Moro, que o condenou por corrupção passiva e lavagem de dinheiro


postado em 17/01/2018 17:31 / atualizado em 17/01/2018 17:58

(foto: / AFP / DOUGLAS MAGNO )
(foto: / AFP / DOUGLAS MAGNO )

Ao criticar as declarações do presidente do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), Thompson Flores, sobre ameaças aos desembargadores que irão julgá-lo no próximo dia 24, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva evocou a guerra de Canudos.

Lula destacou que o desembargador que preside a Corte de apelações da Lava-Jato é trineto de um general que morreu durante a ofensiva do Exército contra a comunidade no interior da Bahia, em 1896.

Em evento no Rio, nesta terça-feira, 16, o petista questionou se talvez não esteja sendo visto como um "cidadão de Canudos" e se Thompson Flores, "da mesma linhagem", não quer "acabar" com sua "viagem".

Lula participou de ato em seu favor, com cerca de mil pessoas, majoritariamente da área da cultura. Durante o evento, voltou a dizer que a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e o juiz Sérgio Moro, que o condenou a 9 anos e seis meses de prisão no caso triplex, "mentiram" em inquérito, acusação e sentença.

O petista disse que Moro deveria ser "exonerado".

O ex-presidente será julgado no dia 24, pelo TRF-4. Ele apela da sentença de Moro, que o condenou por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O magistrado da Lava Jato entendeu que o triplex no condomínio Solaris, no Guarujá, e suas respectivas reformas custeadas pela OAS, foram formas de pagamento de propinas de R$ 2,2 milhões ao ex-presidente.

Os recursos de Lula e de outros seis réus do processo do triplex serão julgados pelo desembargadores da 8.ª Turma da Corte federal - João Pedro Gebran Neto, Victor Laus e Leandro Paulsen.

Thompson não faz parte do colegiado que decidirá a sorte de Lula.

O ex-presidente insistiu nas críticas à condução, por Thompson, do episódio sobre as ameaças que desembargadores vêm recebendo às vésperas de seu julgamento.

"O que me chama atenção é que esse cidadão vai a Brasília pedir proteção na Suprema Corte sem explicar quem está ameaçando. Porque, veja, se tiver ameaça, tem que pedir proteção, mas diga quem está ameaçando."

"Aliás, esse cidadão, ele é bisneto (sic) do general Flores, que invadiu Canudos e matou Antônio Conselheiro. É da mesma linhagem. Então, quem sabe ele esteja me vendo como um cidadão de Canudos e queira acabar com minha viagem", afirmou.

O trisavô de Thompson, Tomás Thompson Flores, é citado em "Os Sertões", de Euclides da Cunha, e foi coronel na guerra de Canudos, aonde morreu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade