Publicidade

Estado de Minas

Léo Pinheiro disse que triplex era de Lula

Declaração ocorreu durante depoimento ao juiz federal Sérgio Moro. Empreiteiro da OAS é um dos principais delatores


postado em 20/04/2017 18:40 / atualizado em 21/04/2017 00:21

Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, declarou nesta quinta-feira que triplex no Guarujá era do presidente Lula. “O apartamento era do presidente Lula. Desde o dia que me passaram para estudar os empreendimentos da Bancoop já foi me dito que era do presidente Lula e sua família e que eu não comercializasse e tratasse aquilo como propriedade do presidente”, afirmou o empreiteiro.

Segundo o Ministério Público Federal, Lula recebeu R$ 3,7 milhões em benefício próprio – de um valor de R$ 87 milhões de corrupção – da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012. As acusações contra Lula são relativas ao recebimento de vantagens ilícitas da empreiteira por meio de um triplex no Guarujá, no litoral de São Paulo, e ao armazenamento de bens do acervo presidencial, mantido pela Granero de 2011 a 2016. O empreiteiro fez referência ao ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

“O João Vaccari conversou comigo, dizendo que esse apartamento, a família tinha a opção de um apartamento tipo, tinha comprado cotas e tal, mas que esse apartamento que eles tinham comprado estava liberado para eu comercializar. E foi comercializado e foi vendido. E que o triplex, eu não fizesse absolutamente nada”, disse.

Léo Pinheiro também afirmou ter sido orientado pelo ex-presidente a destruir provas que pudessem incriminá-lo na Operação Lava-Jato. Segundo ele, em junho, os dois se encontraram e Lula perguntou se Pinheiro havia feito algum pagamento a João Vaccari no exterior. “Ele me perguntou: Você tem algum registro de algum encontro de contas feitas com João Vaccari com vocês? Se tiver, destrua'”, relatou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade