Publicidade

Estado de Minas

Rodrigo Maia diz que responsabilizar juízes e promotores não configura retaliação

Câmara votou na madrugada desta quarta-feira projeto de combate à corrupção, incluindo no pacote o crime de responsabilidade da magistratura e de promotores e procuradores


postado em 30/11/2016 11:50 / atualizado em 30/11/2016 12:05

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, durante entrevista à imprensa na manhã desta quarta-feira(foto: Alex Ferreira/Agência Câmara)
O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, durante entrevista à imprensa na manhã desta quarta-feira (foto: Alex Ferreira/Agência Câmara)

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, comentou na manhã desta quarta-feira a aprovação, na madrugada de hoje (30), do projeto que combate a corrupção.

Maia afirmou que pessoalmente não concorda com a responsabilização de juízes e promotores por abuso de autoridade como prevista no texto aprovado, porque entende que já tramita no Senado um projeto que discute o assunto. No entanto, ele avalia que não se pode questionar uma votação expressiva com relação à emenda que tratou do tema.

“Foi uma votação transparente, nominal. Cada deputado vai responder perante o eleitor em relação a seu voto”. O presidente da Câmara negou que a aprovação deste ponto seja uma retaliação ao Poder Legislativo. “A Câmara vota o que acha importante”, afirmou.

Ao comentar o fato de que a maioria dos pontos do pacote anticorrupção previstos no relatório do deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) não foram aprovados em Plenário, Rodrigo Maia ressaltou que tudo ocorreu seguindo um processo democrático, com cada parlamentar votando de acordo com seu entendimento.

Com Agência Câmara

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade