Publicidade

Estado de Minas

Conselho de Ética da Câmara arquiva processo contra Jean Wyllys

A representação foi feita pelo PSC, após críticas do parlamentar a integrantes da legenda


postado em 23/11/2016 19:06 / atualizado em 23/11/2016 19:17

(foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados)
(foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados)

O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) teve o processo no Conselho de Ética da Câmara arquivado nesta quarta-feira. Por 11 votos a zero os parlamentares entenderão que não havia motivos para acionar Wyllys por quebra de decoro por declarações contrárias a integrantes do PSC nas redes sociais. A representação foi feita pela legenda criticada.

Na acusação contra Jean, o PSC reclama de postagens feitas pelo parlamentar após o massacre de gays na boate de Orlando, nos Estados Unidos. Na ocasião, Wyllys citou “delírios homofóbicos de políticos e líderes religiosos mentirosos” e criticou discursos de ódio de “bolsomitos, malafaias e felicianos”, o que ofendeu os deputados Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro e Pastor Marco Feliciano, todos do PSC.

No entendimento do relator do processo, as postagens do deputado do PSOL “não ferem o decoro parlamentar”.

Jean Wyllys ainda responde por outro processo relacionado à “cusparada” em Jair Bolsonaro (PSC-RJ) no dia da votação da admissibilidade do impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT).

Após proferir seu voto, ele alega ter sido provocado por Bolsonaro e reagiu com a atitude.  Vídeo do circuito da Câmara mostra que o filho de Jair, o também deputado, Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) , também cuspiu em Jean.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade