Publicidade

Estado de Minas

Candidatos a prefeito de BH participam de debate com alunos da Fumec

O debate acontece na manhã desta quarta-feira e conta também com a participação de candidatos a vice-prefeito


postado em 14/09/2016 09:39 / atualizado em 14/09/2016 12:52

A disputa pela Prefeitura de BH com as propostas dos candidatos para a gestão nos próximos quatros anos é tema de debate na Fumec(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
A disputa pela Prefeitura de BH com as propostas dos candidatos para a gestão nos próximos quatros anos é tema de debate na Fumec (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)

Sem a presença dos dois primeiros colocados nas pesquisas - o deputado João Leite (PSDB) e o ex-presidente do Atlético Alexandre kalil (PHS) -, os candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte participam na manhã desta quarta-feira de debate com alunos da Fumec. Estão presentes sete dos 11 candidatos.

O deputado federal Rodrigo Pacheco (PMDB) apenas se apresentou e saiu. Ele pediu desculpa e disse ter uma entrevista agendada anteriormente por sorteio em uma rádio.

Os debatedores são os candidatos Délio Malheiros (PSD), Marcelo Álvaro Antônio (PR), Reginaldo Lopes (PT), Maria da Consolação (Psol), Eros Biondini (Pros), Sargento Rodrigues (PDT), e Luis Tibé (PT do B). Participam ainda os vices de Kalil, Paulo Lamac (Rede), e de João Leite, Ronaldo Gontijo(PPS).

Temperatura em ebulição

O encontro começou quente com criticas à gestão da prefeitura entre os concorrentes de Délio Malheiros, atual vice-prefeito na administração de Marcio Lacerda (PSB).

Ao estilo Kalil, na ausência dele, o vice Paulo Lamac começou criticando a presença de militância paga nas primeiras fileiras do auditório. Segundo ele, o lugar deveria ser dos alunos, que aplaudiram a intervenção.

Mais aplausos

Outra que arrancou muitas palmas foi a professora Maria da Consolação, c candidata do Psol. Ela começou a fala comemorando a cassação do mandato de deputado do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB/RJ). "Conseguiram tirar esse sujeito mesmo sem alguns amiguinhos deles. Agora é 'Fora Temer. Vamos ocupar as ruas', disse a candidata.

Acusação

O deputado estadual Sargento Rodrigues ainda na sua apresentação acusou kalil de ter sete processos por dívidas com o IPTU. Rodrigues também foi pra cima da gestão de Lacerda que, segundo o deputado, precisa 'parar de atrapalhar'. Segundo ele, a PBH não dá segurança aos estudantes que são assaltados e têm seus carros roubados.

Dois lados

O deputado federal Reginaldo Lopes atacou as candidaturas de João Leite, do PSDB, e do atual vice-prefeito Délio Malheiros, que tem o apoio de Marcio Lacerda nesta disputa eleitoral. Segundo o petista, ambos os candidatos querem privatizar a cidade. 'Essa campanha tem apenas dois lados: os que querem privatizar e os que querem devolver BH para a população", avaliou Lopes.

Em meio a um clima de guerra de torcidas, o vereador Arnaldo Godoy (PT) gritou golpista para candidatos que votaram pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff falavam.

Durante a fala do candidato do PT, parte da plateia, composta por alunos e equipes de campanha, gritaram 'Fora Temer' e 'Fora Lacerda'.

Reação

O vice-prefeito Délio Malheiros acusou o governo federal de não cumprir com os compromissos firmados com BH. Questionado sobre o anel rodoviário, disse que o governo prometeu R$ 750 milhões e não entregou.

'Fizemos licenciamento e o que o governo federal fez? Veio a BH, prometeu recursos como fez com o metrô e não fez o que devia fazer. O governo federal não fez sua parte. Nós fizemos a nossa', disse.

Bola da vez

Mais uma vez o candidato Kalil foi atacado. Agora por uma pergunta feita por escrito por alguém da plateia. O questionamento foi sobre um vídeo que circula na internet em que kalil diz que faria tudo para ajudar o Atlético, até roubar nos jogos.

Lamac respondeu que é uma montagem grotesca tirada de uma fala descontraída no final de uma entrevista.'É uma pratica não só lamentável mas criminosa quando se pega frases descontextualizadas, soma e faz uma mensagem', disse Lamac.

Délio também partiu para o ataque contra kalil. O candidato disse que, se eleito, convidaria qualquer dos outros candidatos para conversar. "Só não convidaria candidato que não paga IPTU e que diz em qualquer lugar ou contexto que vai roubar. Também que diz que não vai fazer nada", afirmou o vice-prefeito.

Marcelo Álvaro também aproveitou o debate para alfinetar kalil. "Não acredito em quem fala que não e político. Tem que ser político e bom político", criticou.

Mais uma vez, Paulo Lamac saiu em defesa de Kalil. O vice na chapa disse que a candidatura dele é contra a política atual. 'E contra essa política de trazer claque para tumultuar o debate", disse.

Barulho

Depois de explicar porque sua campanha é conhecida pelo barulho, Tibé fez mais um ataque a kalil. O candidato falou que o partido dele, PHS, também tem politicagem. 'Ele (Kalil) podia ter pedido para o presidente do partido dele ir lá votar contra o Cunha, aquele deputado que ofereceu título de cidadão honorário a ele e recebeu mais de R$ 500 mil de mineradora". Tibé se referiu ao deputado federal Marcelo Aro.

Emendas

Questionado sobre emendas parlamentares, o deputado federal Luiz Tibé disse que mandou recursos para uma quadra de futebol e a prefeitura não fez a obra."O recurso veio e a prefeitura não aproveitou", reclamou.

Trassexual

o candidato Eros Biondini disse que convidou uma transexual para sua secretaria e defendeu uma política para atender aos cidadãos independentemente da diversidade sexual. Eros é católico da Renovação Carismática.


Publicidade