Publicidade

Estado de Minas

Primeiro debate com candidatos à PBH tem confronto entre Kalil e Rodrigo Pacheco

Participaram oito candidatos; Délio Malheiros e Marcelo Álvaro Antônio também trocaram alfinetadas sobre apoio do prefeito Márcio Lacerda


postado em 31/08/2016 00:28 / atualizado em 31/08/2016 01:04

(foto: Divulgação/Band)
(foto: Divulgação/Band)

O primeiro debate eleitoral entre os candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte, que aconteceu na noite dessa terça-feira, foi marcado por poucas discussões acirradas entre os candidatos.

Na primeira parte do debate cada candidato se apresentou aos eleitores, falando sobre sua trajetória e citando propostas de governo.

A partir da segunda parte do debate, quando os candidatos trocaram perguntas entre si, houve ataques e críticas.

Participaram do debate da Rede Bandeirantes oito dos 11 candidatos à prefeitura: João Leite (PSDB), Alexandre Kalil (PHS), Rodrigo Pacheco (PMDB), Reginaldo Lopes (PT), Délio Malheiros (PSD), Marcelo Álvaro Antônio (PR), Luís Tibé (PTdoB) e Sargento Rodrigues (PDT).

Segundo os organizadores participaram apenas aqueles que correspondem aos critérios da lei eleitoral, ou seja, que tenham representação de mais de nove deputados federais.

Farpas trocadas


A primeira alfinetada entre os candidatos partiu de Marcelo Álvaro Antônio, que questionou Délio Malheiros sobre sua mudança de posição na última eleição municipal, quando Délio passou a apoiar o prefeito Marcio Lacerda (PSB), integrando a chapa do socialista como vice-prefeito.

Délio preferiu não entrar na polêmica e citou ações da atual administração e defendeu a continuidade do trabalho de Lacerda. “Nossa gestão é reconhecida pela população pelo trabalho sério e transparente, por isso merece ter continuidade”, disse Délio.

O maior confronto, no entanto, foi entre o ex-presidente do Atlético, Alexandre Kalil, e o deputado Rodrigo Pacheco. O parlamentar afirmou que Kalil divulgou uma falsa propaganda ligando sua candidatura ao presidente interino Michel Temer (PMDB) e questionou se o adversário divulgaria mentiras em sua campanha. “O senhor diz ainda que não tem ligação com a política, mas seu passado o desmente. Qual é sua realidade candidato Kalil?”, questionou Pacheco.

Kalil rebateu dizendo que apenas reproduziu uma fala do próprio peemedebista, que afirmou que buscaria com Michel Temer verbas para Belo Horizonte. O ex-cartola ainda atacou a pouca experiência do parlamentar. “O que vocês políticos fizeram conosco nesses últimos anos é vergonhoso. Você tem quase o tempo do meu filho em BH. Vamos parar com esse joguinho. Nossa paciência acabou com isso. A verdade é que o saco encheu”, disparou Kalil.

Saúde e segurança


Propostas voltadas para a segurança pública e saúde foram destacadas pelos candidatos ao longo do debate.

O candidato do PSDB, deputado João Leite, destacou sua experiência como parlamentar e secretário municipal. O tucano citou deficiências da saúde na capital mineira, apontando a falta de médicos para atender a população e prometeu uma gestão integrada no setor para acelerar os atendimentos nos hospitais municipais.

Já o deputado Luis Tibé, candidato do PTdoB, prometeu aumentar os investimentos na área e facilitar o acesso da população aos serviços municipais.

O deputado Reginaldo Lopes, candidato do PT, prometeu uma gestão com mais diálogo com os setores da população e a implementação de um planejamento participativo para decidir a elaboração do orçamento municipal.

Sargento Rodrigues, do PDT, destacou as propostas para combater a violência na capital mineira, citando uma fiscalização mais rigorosa com os flanelinhas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade