Publicidade

Estado de Minas

João Leite promete reprimir violência em BH com guarda municipal armada

O candidato visitou na manhã deste domingo a Feira dos Produtores da Cidade Nova e disse que o principal problema da região é a falta de segurança pública


postado em 28/08/2016 14:12 / atualizado em 28/08/2016 14:28

João Leite pediu votos e abraçou comerciantes e frequentadores da feira(foto: Jair Amaral / EM / D.A. Press)
João Leite pediu votos e abraçou comerciantes e frequentadores da feira (foto: Jair Amaral / EM / D.A. Press)

O candidato do PSDB, deputado estadual João Leite, afirmou na manhã deste domingo, que vai colocar todo o efetivo da guarda municipal munido de armas de fogo nas ruas para combater a criminalidade em Belo Horizonte. Para isso, prometeu criar um centro de formação e treinamento para os cerca de 2 mil guardas da cidade. Ao visitar a tradicional Feira dos Produtores, na Cidade Nova, Região Nordeste da capital, afirmou que o prefeito deve ser protagonista na questão da segurança.

O tucano chegou à feira acompanhado de militantes e de aliados políticos, como os deputados federal, Rodrigo de Castro, e estadual, João Vitor Xavier, além de candidatos a vereador da sua coligação. Ele cumprimentou feirantes e pessoas que passavam pelos corredores do centro comercial.

De acordo com o candidato, um grande problema da região e da feira é a segurança pública. “Teremos os guardas municipais preparados nas ruas, armados, para dar segurança para a população. Não esperarei efetivo da polícia militar. Vamos enfrentar essa questão da segurança que toca muito a vida dos comerciantes não apenas aqui da feira mas em toda a cidade de belo horizonte”, disse.

O candidato afirmou ainda que o prefeito de uma cidade é o principal protagonista da segurança pública. “Está nas mãos dele a prevenção, que entra aí pela educação e pelo esporte, e depois na mão dele também a repressão. Ele pode reprimir com a guarda municipal e é isso que eu farei”, disse.

Depois de muita novela, a guarda municipal criada em 2003 em Belo Horizonte começou a atuar armada em abril deste ano. Conforme anunciado na ocasião, inicialmente somente 90 agentes portariam revólveres calibre 38 e pistolas 380 adquiridas pelo município em 2006.


Publicidade