Publicidade

Estado de Minas

Narração de jogo do Galo ameaça tirar deputado Caixa da eleição de BH

O deputado estadual Mário Henrique Caixa (PV) narrou jogos do Atlético depois de 30 de junho, período em que os pré-candidatos ficam proibidos de apresentar programas


postado em 22/07/2016 11:57 / atualizado em 22/07/2016 13:33

Caixa narrou jogos do Galo em julho e pode ficar fora da disputa por isso(foto: Divulgação Facebook)
Caixa narrou jogos do Galo em julho e pode ficar fora da disputa por isso (foto: Divulgação Facebook)

O deputado estadual Mário Henrique Caixa (PV), famoso pelas narrações dos jogos do Atlético, deve ficar impedido de disputar a Prefeitura de Belo Horizonte por causa do ofício como radialista. Ele continuou apresentando as partidas do galo depois do dia 30 de junho, período a partir do qual a legislação eleitoral proíbe os pré-candidatos de apresentarem ou comentarem programas de rádio e televisão. Mesmo diante do impasse jurídico, o parlamentar diz que continua no páreo.

Na avaliação do coordenador das promotorias eleitorais de Minas Gerais, Edson Resende, por esse motivo ele não pode mais concorrer. “Temos na lei essa consequência do cancelamento do registro. Se ele vier a apresentar a candidatura, certamente os promotores vão atuar no caso”, disse. Isso também vale para o cargo de vice-prefeito. Segundo Resende, apesar da lei falar em programas apresentados ou comentados por pré-candidatos, a narração de jogo esportivo também pode ser enquadrada na proibição.

“Na minha avaliação, ele é o apresentador, porque o sentido da lei é tirar do ar aquelas pessoas que tenham essa comunicação com o público. Ele apresenta aquele programa, que no caso é a transmissão ao vivo do jogo”, esclarece o promotor.

O presidente do PV de BH, vereador Sérgio Fernando, disse que conversará com Caixa nesta semana sobre o assunto. De acordo com ele, a narração do jogo foi avaliada como uma desistência do pré-candidato, mas ele não fez essa comunicação oficialmente. “No mundo político, quando narrou o jogo todos deram como uma desistência, mas ainda não ouvimos isso da boca dele.”

Pré-campanha


No prazo definido pela Justiça Eleitoral, Caixa deixou o PCdoB para se filar ao PV, chegando à legenda como pré-candidato à PBH. O parlamentar vinha visitando os bairros da cidade e usando a hashtag “BH no coração do Caixa” para divulgar a agenda em sua página no Facebook.

“Lógico que seria bom e o partido quer que ele concorra, ele foi o deputado mais votado em 2014, é bom para o partido mas o que tem que se verificar é se há viabilidade jurídica. Devo ter uma conversa com ele essa semana para acertar isso”, disse o vereador. Segundo Sérgio Fernando, o PV deixará a convenção para os últimos dias.

Caixa continua pré-candidato


Caixa disse que continua pré-candidato a prefeito de BH. O deputado disse que estava ciente da proibição e, mesmo assim narrou três jogos do Atlético depois de 30 de junho. “Sou pré-candidato e não acho justo ter que parar de trabalhar. Na hora que meu nome passar na convenção e eu for candidato, saio do ar. Por enquanto não tenho como deixar de exercer minha profissão na expectativa de uma coisa que posso ser ou não ser, tenho que pagar minhas contas”, disse.

Segundo o deputado, a proibição colocada na legislação eleitoral foi para apresentação de programa. “Esse não é o meu caso. Se na convenção conseguir ser candidato a prefeito ou vice, vou tentar. Acho que cabe no mínimo uma discussão jurídica”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade