Publicidade

Estado de Minas

Marina Silva vem a BH participar do lançamento da candidatura de Paulo Lamac à prefeitura

Na capital mineira, a porta-voz da Rede criticou o governo da presidente afastada Dilma Rousseff


postado em 20/07/2016 22:36 / atualizado em 20/07/2016 23:39

Lamac foi lançado oficialmente candidato à PBH com a presença de líderes da Rede de toda a capital e do presidente do PCdoB de BH, Zito Vieira(foto: Alessandra Mello/EM/DA Press)
Lamac foi lançado oficialmente candidato à PBH com a presença de líderes da Rede de toda a capital e do presidente do PCdoB de BH, Zito Vieira (foto: Alessandra Mello/EM/DA Press)

Durante lançamento da candidatura a prefeito de Belo Horizonte pela Rede do deputado estadual Paulo Lamac, a porta-voz nacional da Rede, ex-senadora Marina Silva, classificou como “tecnicamente competente” a equipe econômica do presidente interino Michel Temer (PMDB) e criticou os 13 anos dos governos Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva. Marina também rechaçou a defesa que vem sendo feita por vários setores de que o afastamento de Dilma é um golpe. Para ela, o impeachment está previsto na Constituição Federal e não pode ser chamado dessa maneira.  

“Agora temos pelo menos uma equipe econômica competente tecnicamente , ziguezagueando  tentando desviar do abismo, mas ainda com movimentos contraditórios porque quando o presidente interino assumiu disse que ia cortar 4000 cargos de confiança, no entanto aprovou 14 mil novos cargos em uma votação no Congresso”, afirmou a senadora que também garantiu que a Rede não vetará nenhum partido na formação de alianças nessas eleições.

A crise pela qual o país atravessa, segundo ela, é responsabilidade dos governos petistas. “Boa parte dos problemas que estamos enfrentando na economia, na degradação social, enfim, tudo que está acontecendo no país tem a ver com o projeto político que foi sobretudo implantado nos 13 anos do governo PT e do PMDB que, juntos, como irmãos siameses produziram essa crise”, afirmou. Marina disse que nesses anos nunca viu o PMDB fazer nenhum tipo de crítica ao governo petista enquanto participou dele.


Publicidade