Publicidade

Estado de Minas

Tucanos pedem ao MP suspensão de propaganda do governo e ação contra Pimentel

Deputados do PSDB entraram com duas representações no Ministério Público de Minas


postado em 23/06/2015 10:15 / atualizado em 23/06/2015 12:02

"O governo do PT confunde o público como se fosse deles", criticou o deputado Domingos Sávio (foto: Lúcio Bernardo Jr. /Câmara dos Deputados)
A bancada parlamentar do PSDB entrou na manhã desta terça-feira com duas representações na Procuradoria-Geral de Justiça de Minas Gerais contra o governador Fernando Pimentel (PT), o secretário de Governo, Odair Cunha, e o subsecretário de Comunicação, Ronald Freitas. O presidente do PSDB mineiro, deputado federal Domingos Sávio, e o líder da minoria na Assembleia, Gustavo Valadares, acompanhados de outros parlamentares, estiveram reunidos com o procurador-geral Carlos Andre Mariani Bittencourt, solicitando que Pimentel e os secretários sejam denunciados na Justiça com uma ação por improbidade adminsitrativa, que prevê, entre outras punições, perda do mandato ou cargo público como penalidade.

Os deputados tucanos justificam o pedido alegando que o governador e os secretários usaram a propaganda oficial para fazer auto-promoção de Pimentel e acusações à gestão anterior com dvivulgação de "informações sabidamente falsas". Segundo os parlamentares, o governo de Pimentel vem divulgando um déficit de R$ 7 bilhões, herdado da administração anterior, ao mesmo tempo que na propaganda do PT, esse número cai para R$ 6 bilhões. Para os parlamentares, os números díspares são a confirmação de que o atual governo mentiu sobre o déficit deixado pela gestão passada.

Na segunda representação protocolada no Ministério Público, os tucanos acusam  o governo Pimentel de mentir sobre o déficit. Segundo os tucanos, caso haja mesmo um déficit no caixa, a Lei de Responsabilidade Fiscal estaria sendo contrariada pelo governo ao criar cargos na adminsitração direta e reajustar os salários dos integrates do primeiro escalão. O deputado Domingos Sávio disse que o pedido ao Ministério Público foi a saída encontrada pelos tucanos após alerta feito aos petistas para que suspendessem a  propanda veiculada nas emissoras de rádio e televisão.

Com a ação, os tucanos querem que as peças publicitárias sejam suspensas e que o procurador-geral acione criminalmente Pimentel. "O governo do PT confunde o  público como se fosse deles. Usam a propaganda como se fosse horário eletiral", reclamou Sávio.

Resposta

Por meio de nota , o governo de Minas informou que, apesar de não ter recebido nehuma notificação  a respeito do assunto, "reafirma que todo o conteúdo veiculado pela publicidade oficial segue o previsto em lei e tem como único objetivo divulgar informações institucionais de interesse dos cidadãos mineiros". Além disso, diz a nota, "o governo de Minas Gerais mantém seu compromisso com a transparência, visando assegurar à população pleno acesso à informação."

 

 


Publicidade