Publicidade

Estado de Minas

PSDB representa contra ministro da Comunicação de Dilma por improbidade administrativa

Segundo o líder do partido na Câmara dos Deputados, a produção de um documento que traça do um quadro das ações da presidente Dilma pela Secom "extrapolou as atividades da secretaria


postado em 20/03/2015 18:18 / atualizado em 20/03/2015 18:27

O ministro da Comunicação, Thomas Traumann, é acusado de improbidade administrativa pelo PSDB(foto: Antônio Cruz/Agência Brasil )
O ministro da Comunicação, Thomas Traumann, é acusado de improbidade administrativa pelo PSDB (foto: Antônio Cruz/Agência Brasil )

O Líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Carlos Sampaio, protocolou junto a Procuradoria da República do Distrito Federal com representação contra o ministro da scretaria de Comunicação Social da Presidência, Thomas Traumann. Na ação, o partido argumenta que a produção de documento que aponta a existência de “caos político”, feito pela Secretaria de Comunicação, configura o uso da secom para “promoção pessoal da presidente Dilma, bem como para viabilizá-la eleitoralmente”. Conforme Sampaio, Traumann “extrapoloiou” as atividades da secretaria de comunicação. A ação pede a condenação do integrante do governo por improbidade administrativa.

O documento citado - elaborado pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República, comandada por Thomas Traumann -, admite que o governo tem adotado uma comunicação "errática" desde a reeleição da presidente Dilma Rousseff, afirma que seus apoiadores estão levando uma "goleada" da oposição nas redes sociais e aponta como saída para reverter o "caos político" e o quadro pós-manifestações o investimento maciço em publicidade oficial em São Paulo, cidade administrada pelo petista Fernando Haddad onde se concentra, atualmente, a maior rejeição ao PT. O levantamento ainda fala de erros de estratégia, além da situaçaõ de isolamento da presidente Dilma Rousseff (PT), principalmente, após os protestos do último domingo.

Segundo Carlos Sampaio, a produção do levantamento visa apenas questões político-eleitorais da de Dilma e, portanto, não traz benefício para os cidadãos. "Pelo que se extrai do referido documento, em nenhum momento as ações da Secom visavam beneficiar o cidadão brasileiro, mas sim fazer com que a presidente Dilma se viabilizasse politicamente e eleitoralmente”, afirmou. Sampaio ainda acusa Traumann de “repetir vícios do PT”. “O ministro Traumann repete os velhos vícios dos governos do PT: usar a máquina administrativa e os recursos públicos em favor do partido e do seu projeto de poder", declarou.


Publicidade