Publicidade

Estado de Minas

Feliciano diz que país vive 'ditadura gay' ao protestar contra condenação de Levy Fidelix

O deputado criticou a decisão da Justiça de condenar o candidato derrotado à Presidência da República a pagar R$ 1 milhão por declarações homofóbicas


postado em 18/03/2015 11:05 / atualizado em 18/03/2015 12:02

Marco Feliciano fez questão de colocar uma foto do amigo no perfil que mantém no Facebook(foto: Reprodução/Facebook)
Marco Feliciano fez questão de colocar uma foto do amigo no perfil que mantém no Facebook (foto: Reprodução/Facebook)

Dois evangélicos associados à homofobia, por declarações contrárias aos direitos dos gays, estão "bombando" nas redes sociais. O provocador desse “sucesso”, com mais de 18 mil compartilhamentos e 113 mil curtidas registradas na manhã desta quarta-feira, é o deputado Marco Feliciano (PSC) que, no perfil que mantém no Facebook, postou uma nota de apoio ao candidato derrotado à presidência da República Levy Fidelix (PRTB), condenado pelao Tribunal de Justiça de São Paulo  a pagar R$ 1 milhão por danos morais ao movimento Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT).

Feliciano afirma no post que “este senhor (Levy), cidadão de bem, pai, avô, tem meu respeito e minha admiração”. Para o deputado, Levy foi "processado e condenado apenas por expressar seus pensamentos. Ainda cabe recurso, e vou torcer para que ele seja inocentado em outra instância”. Da ação condenatória cabe recurso para reverter a pena imposta a Levy em primeira instância.

“Aparelho excretor não reproduz”

Em debate na TV, durante a campanha eleitoral, Levy, ao ser questionado sobre seu posicionamento em relação ao casamento gay disparou que “dois iguais não fazem filho” e que o “aparelho excretor não reproduz”. Além dessas declarações, Levy Fidelix fez uma série de comparações preconceituosas com os homossexuais. O político comparou, por exemplo, a homossexualidade à pedofilia, afirmando que o papa Francisco vinha promovendo ações de combate ao abuso sexual infantil.

Ditadura gay

Para Feliciano, as declarações de Levy, que motivarama a ação na Justiça,  têm uma explicação: “vivemos a ditadura gay, venho falando sobre ela desde 2011. Sem haver no código penal o crime por homofobia, Levy foi condenado, imaginem se homofobia estivesse tipificada no código penal... Pastores e padres não poderão mais pregar em seus púlpitos o que a Bíblia diz ser pecado. Se Levy Fidelix for condenado em todas as instâncias, criar-se-a a jurisprudência sem que haja necessidade da lei aprovada. Assim como foi no caso da união estável e civil entre pessoas do mesmo sexo. “

Reação


A reação à declaração de Felciano gerou comentários diversos. Um dos internautas comentou: “Sou gay... casado... bem sucedido e mto FELIZ... Deus me abençoa tdos os dias. Minha família me ama... Tenho uma familia de BEM ...Vcs 2 pregam a discórdia... e JAMAIS me representam “.

Comentários desse tipo se multiplicaram no perfil de Feliciano Facebook. Mas há também, no mesmo post, apoio às conclusões de Feliciano. Um internauta propôs: “quem gosta do Marco Feliciano dá um curtir aqui “. Mais de 11 mil internautas curtiram o deputado, que ficou famoso em todo o país não só por declarações homofóbicas, mas também racistas, inclusive com registro de vídeos.


Publicidade