Publicidade

Estado de Minas

Aécio promete universidade do Vale do Aço e duplicação da BR-381

"Vou trazer para essa região aquilo que já deveria ter acontecido há muito tempo", disse Aécio, se referindo à Universidade Federal do Vale do Aço


postado em 20/09/2014 18:24 / atualizado em 20/09/2014 18:38

Aécio, Pimenta e Anastasia participaram de carreatas neste sábado em três cidades do vale do Aço(foto: Bruno Magalhães/Coligação Muda Brasil)
Aécio, Pimenta e Anastasia participaram de carreatas neste sábado em três cidades do vale do Aço (foto: Bruno Magalhães/Coligação Muda Brasil)

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves , em campanha, neste sábado, em três cidades mineiras que fazem parte do chamado Vale do Aço – Ipatinga, Coronel fabriciano e Timóteo-, prometeu trazer para a região a Universidade Federal do Vale do Aço. “Vou trazer para essa região aquilo que já deveria ter acontecido há muito tempo, para que possamos qualificar os jovens para atividades que sejam naturais e que já existam e tenham o potencial de crescimento aqui nessa região”, afirmou.

De acordo com o candidato, a região do Vale do Aço sofre com o “processo de recessão e desindustrialização”. Para mudar esse dado, prometeu regras claras que fortaleçam o investimento privado, a melhoria da infraestrutura e uma simplificação “urgente” do sistema tributário. A duplicação rápida da BR-381 até Governador Valadares foi um de seus compromissos caso seja eleito.

“Vou trazer para essa região aquilo que já deveria ter acontecido há muito tempo, a Universidade Federal do Vale do Aço, para que possamos qualificar os jovens para atividades que sejam naturais e que já existam e tenham o potencial de crescimento aqui nessa região”, prometeu. Depois da entrevista, o presidenciável participou de carreata em Ipatinga, Timóteo e Coronel Fabriciano.

Aécio Neves disse ainda que o marco regulatório da mineração é uma necessidade. De acordo com ele, há consenso no Congresso, algo difícil entre os parlamentares, que não é aproveitado porque a aprovação do marco pode aumentar os repasses aos estados. “Precisamos, a partir de primeiro de janeiro do ano que vem, iniciar um novo ciclo de distribuição mais justa e mais adequada dos recursos público”, declarou.

Pnad

Sobre o erro na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2013, Aécio disse que há uma “desmoralização” das instituições brasileiras e que dados positivos que “poderiam ser comemorados por todos os brasileiros, ficam sob suspeita”.

Com informações da Agência Brasil


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade