Publicidade

Estado de Minas

Aécio garante que assumirá segundo lugar isolado nas pesquisas em até 20 dias

Presidenciável do PSDB afirma que Marina Silva se beneficia de uma "onda de comoção"


postado em 26/08/2014 06:00 / atualizado em 26/08/2014 07:04

"Política e eleições funcionam muitas vezes como esse mar maravilhoso. As ondas vêm" - Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência da República (foto: IGOR ESTRELA/COLIGAÇÃO MUDA BRASIL)

O candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves,  garantiu que, dentro de 15 ou 20 dias, aparecerá em segundo lugar isolado nas pesquisas de intenções de voto. Para o tucano, a candidata do PSB, a ex-senadora Marina Silva, está se beneficiando de uma “onda” de comoção provocada pela morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), morto em um acidente aéreo no último dia 13 e a quem ela veio substituir. Aécio acredita que o quadro para a disputa presidencial começa a se definir a partir de 15 de setembro.

O presidenciável visitou o Saara, maior centro de comércio de rua do Rio de Janeiro, e lá falou à rádio do local. Na entrevista disse que a morte de Eduardo Campos alterou o cenário eleitoral “circunstancialmente”. “Infelizmente, todos nós estamos abalados com a morte trágica de Eduardo. Isso trouxe uma modificação pelo menos momentânea no quadro eleitoral. Política e eleições funcionam muitas vezes como esse mar maravilhoso. As ondas vêm”, avaliou Aécio.

O tucano disse que, no início do ano, aliados da presidente Dilma Rousseff davam como certa a reeleição dela no primeiro turno. “Depois surgiu o fenômeno com a candidatura nova de Eduardo, que seria avassaladora, o que acabou não ocorrendo. Veio o episódio Marina agora”, exemplificou. Aécio disse que os eleitores estão no momento de saber quem são os candidatos e que ele ainda é pouco conhecido, mas conta com os programas de televisão e as viagens pelo país para melhorar o desempenho. “Ao lado disso, o conhecimento em relação às nossas propostas precisa ser aumentado também. A partir do dia 10 ou do dia 15 de setembro começaremos a ter um quadro mais próximo daquele que será o quadro eleitoral e espero, sim, estar no segundo turno e vencer as eleições”, afirmou.

Em outra alfinetada em Marina Silva, que agora disputa com ele um espaço no segundo turno das eleições, Aécio ironizou a declaração do consultor econômico da ex-senadora, Eduardo Giannetti, que afirmou que, se eleita, ela vai governar com a ajuda do PT e do PSDB. O economista elogiou o quadro técnico dos tucanos. “Fico muito honrado em ver sempre referências positivas aos nossos quadros. Mas acho que o que vai prevalecer é o software original. Quem vai governar é o PSDB com os seus aliados e, obviamente, com figuras qualificadas, sem partido e de outras forças políticas”, afirmou Aécio. O senador disse ter não só as melhores propostas para o Brasil, mas as pessoas certas para implementá-las.

Crise

Falando a linguagem dos comerciantes, Aécio disse que pretende simplificar o sistema tributário brasileiro caso seja eleito. O candidato afirmou que a origem dos programas Simples e Super Simples está no PSDB. No Saara, que tem 1,8 mil lojas, circulam diariamente 120 mil pessoas. Aécio disse ter ouvido durante o percurso queixas em relação à crise econômica e afirmou ter compromisso com a retomada do crescimento do país e com a viabilização de pequenos empresários. “Queremos, cada vez mais, diminuir a burocracia. Uma das primeiras propostas que encaminharei ao Congresso Nacional passa pela simplificação do nosso sistema tributário”, destacou.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade