UAI
Publicidade

Estado de Minas

Eduardo Campos morre no mesmo dia do avô, Miguel Arraes

Cinco passageiros e dois pilotos estavam na aeronave no momento da queda em Santos. Morte do avô de Campos completava nove anos


postado em 13/08/2014 13:39 / atualizado em 13/08/2014 14:50

O jato que caiu no início da tarde sobre casas no Bairro do Boqueirão, em Santos, no estado de São Paulo, estava com sete pessoas a bordo. Além do candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, também morreram no desastre aéreo o fotógrafo Alexandre da Silva; o assessor Carlos Augusto Leal Filho (Percol), os pilotos Geraldo da Cunha e Marcos Martins, além de Pedro Valadares Neto e Marcelo Lira


Eduardo Campos tinha viajado para cumprir agenda de campanha no Guarujá.O ex-governador de Pernambuco saiu do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, para um compromisso na cidade paulista. O piloto tentou aterrissar mas, devido ao mau tempo, arremeteu e fez um novo procedimento de aproximação.

Morte no mesmo dia do avô 


A tragédia aconteceu no dia em que morreu o avô de Campos, Miguel Arraes. O também governador de Pernambuco e pai da mãe de Campos, a ministra do Tribunal de Contas da União (TCU), Ana Arraes, morreu de infecção generalizada em 13 de agosto de 2005.

Mãe de presidenciável  deixa sessão no TCU

A ministra do Tribunal de Contas da União (TCU), Ana Arraes, deixou o prédio da Corte de forma discreta e sem falar com a imprensa ao saber das informações sobre a queda de um avião, em Santos, no estava a bordo seu filho e candidato à Presidência pelo PSB, Eduardo Campos.

De acordo com a assessoria do TCU, a ministra ainda não tinha a confirmação de que Campos sofreu o acidente, mas decidiu deixar o tribunal ao saber dos "rumores" sobre a questão. Nesta manhã, ela participou da sessão de posse do novo ministro do TCU, Bruno Dantas.

O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, irá suspender a sessão plenária desta tarde e decretar luto oficial no tribunal em razão da morte de Eduardo Campos. A previsão é de que Nardes abra a sessão às 14h30, mas suspenda os trabalhos na sequência, sem análise de nenhum processo

 

Com agências 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade