Publicidade

Estado de Minas

PCdoB vai para base governista na Assembleia Legislativa


postado em 20/02/2013 06:00 / atualizado em 20/02/2013 06:44

Depois de contar com o apoio dos tucanos nas duas disputas eleitorais em que seus deputados estaduais concorreram em outubro, o PCdoB resolveu aderir ao bloco Avança Minas, também conhecido como bloquinho governista, na Assembleia Legislativa. Convidados também pelo PT, os dois parlamentares da bancada do partido na Casa optaram por se aliar aos integrantes da base do governador Antonio Anastasia (PSDB) por terem mais chances de ocupar a presidência das comissões que pleiteiam. Em reunião do colégio de líderes ontem, foram distribuídas as vagas para os partidos, que indicam até hoje os nomes que vão compor cada grupo.


Os deputados do PCdoB, Celinho do Sintrocel e Mário Caixa, praticamente confirmaram ontem a adesão ao bloquinho. “Fizemos pleitos ao líder do PT que não foram alcançados e os mesmos que apresentamos ao PV foram atendidos. Teremos, porém, uma posição de liberdade de ação na Assembleia. Votamos de acordo com o que for de interesse da sociedade”, afirmou Celinho. Derrotado na campanha pela Prefeitura de Coronel Fabriciano, no Vale do Aço, onde concorreu com uma petista, ele teve o apoio não só do PSDB mas de outros 14 partidos da base do governo do estado.

Outro comunista que teve um empurrãozinho do Palácio Tiradentes, mas conseguiu se eleger, foi o prefeito de Contagem, Carlin Moura. No segundo turno, depois de ter seu candidato  Ademir Lucas derrotado, o PSDB se aliou a Carlin no embate contra o PT. O estreante Caixa, que assumiu a vaga deixada por Carlin, confirmou que pleiteia o comando da Comissão de Esportes e de uma possível futura comissão especial para a Copa do Mundo. As chances de atuar no meio esportivo vão nortear a decisão do locutor, que afirmou ontem que o assunto ainda estava em negociação. “Pensando no meu mandato, eu preciso atuar nessa área e, sozinhos, eu e o Celinho não teríamos direito a nenhuma vaga”. Celinho quer a comissão do Trabalho.

Já o PT e o PMDB seguem na oposição, porém separados. De acordo com o líder peemedebista, Adalclever Lopes, se voltassem com o bloco, as legendas teriam o mesmo espaço nas comissões, mas ficariam com apenas um líder. Com duas bancadas, eles teriam o tempo dobrado para usar a tribuna. “Mas continuamos tendo um alinhamento eleitoral, estamos na oposição”, disse Adalclever.

SEGURANÇA Na principal disputa pelas comissões temáticas, venceu a força do bloco governista, que indicou o tucano João Leite para continuar comandando a área de segurança pública. A vaga era disputada pelos dois integrantes da bancada da bala, Sargento Rodrigues (PDT) e Cabo Júlio (PMDB). O pedetista não deve ter nem assento no grupo, enquanto o peemedebista deve ficar apenas como membro.

Nas mexidas nos dois blocos governistas, PTB e DEM trocaram de lugar para equilibrar as forças. Com isso, o blocão fica com 30 parlamentares, entre os do PSDB, DEM, PPS, PEN, PR, PHS, PTdoB, PSD e PRTB. Já o bloquinho terá PV, PTB, PSC, PSB, PP, PMN, PTC e PCdoB.

Mobilidade urbana

O presidente da Assembleia Legislativa (ALMG), deputado Dinis Pinheiro (PSDB), lança hoje a campanha Mobilidade Urbana – Construindo Cidades Inteligentes, com uma série de discussões sobre a necessidade de melhoria urbana em Belo Horizonte e outros centros. As reuniões para definir o formato e preparação do evento começam em março, quando serão convidados representantes da sociedade civil. De acordo com o Legislativo, a ideia é mobilizar gestores públicos e a iniciativa privada para discutir a realidade brasileira.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade