Publicidade

Estado de Minas OS "DONOS DO PEDAÇO" EM BH

EM levanta regiões onde vereadores eleitos têm mais força política na capital

Resultado das urnas nas 18 zonas eleitorais da capital mostra onde mora a força política de alguns dos vereadores mais votados


postado em 11/10/2012 06:00 / atualizado em 11/10/2012 06:58

Os moradores do Barreiro, Venda Nova, Pampulha e regiões Noroeste, Norte, Oeste, Centro-Sul, Leste e Nordeste já têm gabinetes certos na Câmara Municipal para procurar quando quiserem resolver os problemas nos locais onde vivem. O resultado das urnas das 18 zonas eleitorais em que se agrupam os bairros aponta os nomes dos mais votados em cada comunidade e mostra quem são os “donos” de cada região na capital mineira. O mapeamento dos campeões de voto nas regionais é também uma oportunidade para quem escolheu dar uma cadeira ao parlamentar que atua na região fiscalizar mais de perto e pressionar o eleito por uma boa atuação no Legislativo.

Embora garantam que vereador deve legislar para toda Belo Horizonte, os parlamentares trabalham com os redutos eleitorais, que em retribuição lhes dão as maiores votações. Bruno Miranda (PDT) é o vereador da Região Nordeste, mais votado nas duas zonas eleitorais que envolvem bairros como Cidade Nova, União, Fernão Dias, São Gabriel e Ribeiro de Abreu. Na 27ª e 331ª zona, o pedetista ficou em primeiro lugar, com 2.324 votos. Também dividem a região com ele Autair Gomes (PSC), Jorge Santos (PRB) e Dr. Nilton (PSB).


Morador da região, Bruno Miranda diz que a vitória é fruto do trabalho que faz no local. “Temos trabalho na cidade toda, mas se concentrar em algumas regiões é inevitável. Pelo contato com o cidadão e a proximidade com as lideranças é natural que as demandas sejam maiores”, afirmou. O parlamentar disse ter tido também uma boa votação da classe dos dentistas por causa de um trabalho que fez na área de saúde bucal, o que lhe rendeu 670 votos na Região Centro-Sul.


Campeão na Noroeste, de bairros como Carlos Prates, Padre Eustáquio e Alto dos Pinheiros, o novato Juninho Los Hermanos (PRB) tem a explicação para os 3.183 votos que obteve (mais da metade da votação total que alguns eleitos tiveram) na ponta da língua. Nascido e criado na região, é ainda dono de um restaurante, e desde 2000 vem tentando fortalecer seu nome. “Tenho um trabalho social há 10 anos voltado para crianças e famílias carentes, animais de rua, deficientes mentais e idosos. Agora eleito, gostaria de dar uma atenção especial a essa região porque foi praticamente ela que me elegeu”, disse.


Na Regional Oeste, as duas zonas principais se dividiram, dando ao estreante Vilmo Gomes (PTdoB) e ao já conhecido Preto (DEM) os postos de campeões. Vilmo venceu na 37ª zona, que engloba bairros como Camargos, Conjunto Habitacional Betânia, parte do Gameleira, Nova Cintra e Vila Oeste, com 1.409 votos. Já Preto foi o preferido de 2.578 eleitores de locais como Morro das Pedras, Grajaú, Estrela Dalva e Nova Suíça. “Sou morador há 33 anos dessa região e todo meu trabalho com creches, asilos, orfanatos e Igreja Católica é nessa área. Na Câmara, vamos trabalhar com prioridade para a comunidade”, afirma Vilmo.


Escritório

A alta votação, segundo Preto, ocorre pelo fato de ele morar na região e ter lá seu escritório parlamentar. “Não priorizo ninguém, trabalho para as pessoas que procuram”, afirmou. Decepcionado com os poucos votos em outras regionais, o vereador afirmou que pretende atuar mais fortemente no Barreiro, Venda Nova e Noroeste, onde também teve boa votação mas ainda não tem escritório político.


Venda Nova, dizem as urnas, é região do Dr. Sandro (PCdoB) e de Bim da Âmbulância (PTN), mais votados nas duas zonas, respectivamente com 3.590 e 5.806 votos. “Claro que cada vereador tem uma atuação preferida. Somos eleitos para a cidade toda mas priorizamos a que somos mais votados”, disse Dr. Sandro, que trabalha como médico no Centro de Saúde do Bairro Santa Mônica.


Embora não seja conhecido como vereador de alguma região, Arnaldo Godoy (PT) foi o campeão em duas zonas da Regional Centro-Sul (33ª e 35ª) e em uma da Noroeste (26ª). O petista não soube a que creditar o resultado. “Trabalho com as áreas da juventude, cultura e educação, não sei explicar e não pretendo por conta desses votos atuar mais diretamente nessas regiões”, disse.


Publicidade