Publicidade

Estado de Minas

Campanha do TRE-MG tenta combater o lixo eleitoral


postado em 16/07/2012 06:57 / atualizado em 16/07/2012 08:25

Uma campanha lançada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) vai tentar mudar um cenário que se repete a cada nova eleição: a sujeira provocada pelos candidatos. Batizada de “Sujeira não é legal”, a campanha pretende conscientizar candidatos e também os eleitores sobre a necessidade da realização de uma campanha limpa, seguindo as normas da legislação eleitoral. De acordo com o TRE, o principal objetivo será valorizar atitudes positivas para o processo eleitoral, promovendo a civilidade entre candidatos, partidos políticos e eleitores, bem como a segurança, a tranquilidade, a transparência e a redução do lixo produzido durante a campanha – formado por panfletos, cartazes, santinhos e cavaletes utilizados pelos candidatos com autorização da Justiça. Além do TRE, participam da campanha a Cemig, o Corpo de Bombeiros Militar e a Polícia Militar de Minas Gerais.

“Se o seu candidato é contra bocas de urnas, uso irregular de energia elétrica, promoção indevida de eventos e comícios, dê a ele as boas-vindas. Caso contrário vassoura atrás da porta para ele”, diz um dos slogans da campanha, que tem uma vassoura como símbolo. No site do TRE tem um link com peças gráficas e eletrônicas da campanha “Sujeira não é legal”, um manual com orientações para o candidato, material para ser usado em programas de rádio e televisão, além de informações sobre o que pode e não pode ser feito nessa disputa.

Também já está no ar um sistema de denúncias on-line de propaganda eleitoral irregular. Para denunciar, basta acessar o site do tribunal e preencher um cadastro. É obrigatória a identificação do eleitor. No entanto, o nome dos denunciantes é mantido em sigilo pela Justiça. Até hoje, o TRE já recebeu 69 informações sobre propaganda irregular desde o dia 5, quando começou oficialmente a campanha. A maioria absoluta são de denúncias contra vereadores.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade