Publicidade

Estado de Minas

Rusgas e críticas agora são passado para Délio Malheiros

Délio Malheiros minimiza ataques recentes a Lacerda e diz que agora vai incorporar suas ideias à campanha do prefeito


postado em 05/07/2012 06:00 / atualizado em 05/07/2012 08:56

Lacerda e Malheiros se encontraram ontem para anunciar aliança (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A PRESS)
Lacerda e Malheiros se encontraram ontem para anunciar aliança (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A PRESS)


A polarização da disputa em Belo Horizonte foi o principal argumento do deputado estadual Délio Malheiros (PV) para mudar sua posição nestas eleições. Até o fim da semana passada um dos mais ferrenhos críticos da atual administração municipal, ele desistiu nessa quarta-feira da própria candidatura a prefeito para ser vice na chapa de Marcio Lacerda (PSB). Nos últimos dias, em todas as vezes que foi questionado, o deputado verde garantiu que não renunciaria.

Segundo Malheiros, o fim da parceria entre petistas e tucanos, que com o PSDB elegeram Lacerda em 2008, vai provocar uma polarização entre o PT e os tucanos, com as respectivas candidaturas do ex-ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Patrus Ananias, e de Lacerda. “Pensamos muito e decidimos que, mesmo com as críticas que fizemos à administração do prefeito, vamos incorporar nossas ideias, equipe e militância à campanha de Lacerda”, afirmou o deputado.

Por sua vez, o prefeito minimizou os ataques do agora aliado. “Sempre foram críticas pontuais, nunca estruturais”, afirmou o prefeito. Lacerda disse ainda que uma sugestão do antigo adversário está, inclusive, sendo usada no governo. “Estamos usando recursos de dívidas que laboratórios tinham com a prefeitura para investimentos no setor de saúde pública”, disse.

Os afagos entre o prefeito e o deputado, no entanto, foram induzidos. O fim da candidatura de Malheiros, assim como a desistência de outro pré-candidato, o deputado federal Eros Biondini (PTB), fazem parte de estratégia colocada em curso pelo PSDB para que a eleição seja definida em primeiro turno.

O rompimento entre o PT e o PSB teria sido provocado pela desistência do partido de Lacerda em se coligar aos petistas na disputa por vagas na Câmara Municipal. O prefeito, no entanto, afirmou ontem não acreditar que a briga entre vereadores tenha sido o motivo da separação entre as duas legendas. “Duvido que um problema envolvendo dois ou três vereadores tenha provocado isso”, afirmou Lacerda. O PSB tem três parlamentares na Câmara de Belo Horizonte. A declaração de Lacerda está relacionada a uma suposta participação da cúpula nacional do PT no rompimento do partido com o PSB. “Não vamos permitir que pessoas de fora venham dizer o que precisamos fazer aqui”, disse.

Bastidores A escolha do deputado estadual Délio Malheiros para compor a chapa de Lacerda, dois dias depois de o prefeito ter anunciado a sua preferência por Josué Valadão (PP), ex-secretário municipal de Governo, ocorreu após intensas consultas e negociações voltadas para o enfrentamento político à chapa concorrente, encabeçada por Patrus. A partir do momento em que o tom da disputa subiu, com a articulação do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel (PT), com o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), e líderes nacionais atraindo o PMDB para a candidatura de Patrus, a opção socialista se tornou mais "política".

Você se lembra?
“Qualquer partido que lançar uma candidatura própria em BH tem nossa solidariedade para enfrentar a máquina da prefeitura”

Délio Malheiros (PV), em 30 de junho, apoiando a candidatura de Leonardo Quintão (PMDB)


Publicidade