Publicidade

Estado de Minas

Lula terá que escolher entre Lacerda, Walfrido e Pimentel para disputar com Aécio em 2014


postado em 29/04/2012 07:04 / atualizado em 29/04/2012 07:06

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai mergulhar fundo nas eleições para o governo de Minas Gerais em 2014. Com mais liberdade por não ocupar mais o Palácio do Planalto, o manda-chuva do PT, restando mais de dois anos para a disputa, tem hoje dois pré-candidatos ao Palácio da Liberdade e articula para atrair o terceiro. Do grupo, apenas um é filiado ao PT. Os outros dois são do PSB. A dupla de soldados já recrutada é formada pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, e pelo presidente estadual do PSB em Minas, Walfrido dos Mares Guia. O outro integrante da legenda às vias de ser arregimentado é o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda.

Lula anunciou a intenção de pôr um dos três na campanha em 2014 a Walfrido e Lacerda em reunião recente realizada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde o antecessor de Dilma Rousseff realiza sessões de fonoaudiologia, depois do tratamento de um câncer de laringe. O ex-presidente quer ter o que chama de “um palanque forte” no segundo colégio eleitoral do país. Conforme avaliação de Lula, o candidato do PSDB, seja o senador Aécio Neves ou o nome que o parlamentar apoiar na disputa, já entrará na campanha com elevados índices de aprovação.

A estratégia do ex-presidente de ter três nomes à disposição está relacionada com decisões a serem tomadas pela Justiça. Walfrido – caso seja condenado no processo em que é acusado por arrecadação irregular de recursos na campanha ao governo de Minas em 1998, juntamente com o ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB), hoje deputado federal – estaria fora da briga. O mesmo vale para o ministro Pimentel, que responde na Justiça por suspeitas de irregularidades na aquisição de câmeras de vídeos para o Programa Olho Vivo no período em que foi prefeito de Belo Horizonte.

A candidatura, portanto, ficaria com Marcio Lacerda. O integrante do PSB, no entanto, administra a capital tendo o PT e o PSDB como aliados e, apesar de já ter dado sinais de que pode abandonar os tucanos, sua decisão, ao menos até o momento, ainda é uma incógnita.

Apesar de ser uma das principais lideranças do PT em Minas Gerais, o nome do ex-ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Patrus Ananias, no governo Lula, não foi citado no encontro com Walfrido e Lacerda. A justificativa é que o ex-presidente não teria aprovado a saída do ex-ministro da pasta para ser vice do ex-senador Hélio Costa (PMDB) na chapa do candidato a governo de Minas, apesar de o próprio Patrus, à época, ter dito que tinha o aval do ex-presidente.

Reação


Pelo menos parte do PSB não aprova as articulações do presidente estadual do partido não só em relação às articulações para as eleições de 2014 como também na disputa pelas prefeituras, em outubro. A argumentação é que Walfrido seja mais ligado ao PT que ao próprio PSB. “É o nome do ex-presidente Lula no estado”, diz um nervoso integrante do partido de Lacerda, que prefere a aproximação com os tucanos.

Walfrido ocupou dois cargos no governo do presidente Lula: no primeiro mandato do petista foi nomeado ministro do Turismo. No segundo, ocupou a pasta das Relações Institucionais. Ex-integrante do PTB, o atual presidente do PSB de Minas Gerais mudou de partido depois de acordo entre Lula e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente nacional do PSB e um dos principais aliados do ex-presidente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade