Publicidade

Estado de Minas

Duplicação da BR-381 sofre mais atraso

Ministro diz que os editais da duplicação serão lançados em 2012. Dilma prometera para este ano


postado em 11/11/2011 06:00 / atualizado em 11/11/2011 08:01

As obras dos quatro primeiros trechos que serão duplicados da BR-381 só começarão no ano que vem. A promessa anterior, feita pela presidente Dilma Rousseff, em visita a Belo Horizonte, em setembro, era que dois editais seriam abertos ainda este ano. Porém, o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, disse nessa quinta-feira que os editais serão lançados apenas no primeiro trimestre de 2012. Com isso, para o início das obras ainda será preciso aguardar o processo de licitação.

De acordo com o Ministério dos Transportes, os lotes que darão início à duplicação do trecho crítico da rodovia são 8,7,6 e 4. Os três primeiros compreendem o trecho entre a capital até depois do trevo de Itabira, no Vale do Rio Doce. O lote 4 é entre Nova Era e Ribeirão Prainha. “Estamos concluindo a aprovação e o ajuste dos projetos, que serão lançados no primeiro trimestre do ano que vem”, afirmou o ministro. A novela da duplicação se arrasta há tempos. Um dos últimos capítulos aconteceu na visita da presidente Dilma Rousseff, em setembro, a Belo Horizonte, quando a presidente prometeu que dois trechos da estrada seriam abertos neste ano.

A pasta ainda sente o efeito da crise provocada por contratos e licitações suspeitas, que derrubaram o ministro Alfredo Nascimento, o segundo demitido na faxina empreendida por Dilma. No total, seis ministros foram demitidos em 10 meses de governo. Passos, que era secretário-executivo e assumiu o posto de ministro, afirma que conduz um “processo de ajustamento da estrutura administrativa”.

Enquanto as obras não saem, muitas vidas são perdidas. A BR-381, no trecho entre a capital e Governador Valadares, é palco recorrente de graves acidentes. Levantamento do Ministério da Saúde aponta que o estado teve 1.057 mortes em rodovias federais no ano passado. Outro levantamento, esse da Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra que 58,9% dos 14.176 quilômetros foram considerados regulares, ruins ou péssimos, 38,4% considerados bons e apenas 9,7% foram classificados como ótimos.

Lotes

No total, a duplicação da BR-381 está dividida em 10 lotes. A presidente Dilma chegou a dizer que os projetos executivos do restante dos trechos deveriam ser finalizados entre dezembro e fevereiro. Com eles em mãos, o governo espera divulgar edital para licitação dos lotes.

O trecho considerado prioritário é entre a capital e o Rio Una, com 70 quilômetros de extensão. O segmento será reformulado, com redução dos aclives e declives e eliminação de curvas em alguns pontos. Em outros, o raio da curva será ampliado. O raio atual é de 100 metros e no novo projeto o raio mínimo será de 230 metros, o que permitirá um aumento da velocidade média nesses trechos, aliado a mais segurança para quem trafega pela via.

Outra modificação será a construção de pontes e viadutos, o que inclui a nova ponte sobre o Rio das Velhas, onde aconteceu afundamento de um dos pilares. O projeto executivo para os lotes 9 e 10 será o último a ser licitado. Este trecho, entre o Rio Una, em São Gonçalo do Rio Abaixo, e Nova Era, é o mais montanhoso da BR-381.

 


Publicidade