Publicidade

Estado de Minas Brasil

Parcialidade e ética na política


01/05/2021 04:00




Humberto Schuwartz Soares
Vila Velha – ES
   
"No Brasil, 'ética', em muitos casos visíveis, é letra morta, quando deveria ser o norte para quem está no topo dar bom exemplo. Assim, ignorando a 'ética', é como se colocasse a raposa para tomar conta do galinheiro. É um contrassenso! Na CPI da COVID,  Renan Calheiros (envolvido em muitos processos) ocupa um cargo de suma importância, relator, e o seu filho é governador de Alagoas. Renan disse que será imparcial. No julgamento da parcialidade do ex-juiz Sergio Moro, o STF o considerou parcial e no habeas corpus de Lula o STF concedeu salvo-conduto ao ex-presidente. Em ambos os casos, muitos dos ministros tinham ligação com Lula (advogado do PT e ministro na época de Lula presidente) e não consideraram antiético votar para favorecer Lula e prejudicar Moro – o inédito foram os julgadores, sem ética e parcialidade, inocentar o ex-presidente 'mais desonesto do Brasil' e a parcialidade na condenação 'política' de Moro. Parece mentira, mas é verdade."

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade