UAI

Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Energia solar: possibilidade real de redução das contas

Energia solar é uma das mais sustentáveis do mundo, por ser renovável e limpa, uma vez que não utiliza matérias-primas escassas na natureza


24/01/2022 04:00

Guilherme Costa
Gerente do segmento de energia solar da Intelbras
 
ntre os desafios que as empresas enfrentam no dia a dia estão as variadas contas e tarifas pagas mensalmente. A conta de energia, por exemplo, tem sido grande motivo de preocupação, já que é uma das responsáveis pela alta da inflação no Brasil, que foi de 10,74%. Nos últimos 12 meses, a conta de luz teve uma alta acumulada de 31,87%.
 
Diante desse cenário, uma boa alternativa para as empresas é o investimento em energia solar, fonte renovável cada vez mais utilizada no mundo, ao lado de tecnologias que colaboram para a crescente eficiência do modelo. Tanto é que, segundo o Ministério de Minas e Energia, só em 2020 tivemos um crescimento de 66% na capacidade instalada de energia solar fotovoltaica no Brasil.
 
E por que buscar novas formas de geração de energia para a sua empresa? Para não ter que lidar com aumentos sucessivos na conta de luz em períodos de pouca chuva, por exemplo, além de obter baixo custo de manutenção e pelo retorno financeiro proporcionado pela implementação do sistema. Ao gerar a própria energia de forma sustentável, contribui-se para a preservação do meio ambiente e consegue-se transformar o negócio em um modelo de empreendimento selo verde.
 
Além do mais, os aumentos na conta de luz afetam diretamente os preços dos produtos, já que atividades ligadas à produção industrial, como fabricação, refrigeração e aquecimento, dependem de energia elétrica. Como é um custo industrial fixo, esse aumento acaba se pulverizando na economia brasileira e afetando diretamente o bolso das pessoas.
 
Hoje há bons incentivos do governo brasileiro para a implementação e utilização da energia solar. Como exemplo, temos a Regulamentação Normativa 482/12 e a Resolução 687/15, que reduzem os obstáculos para quem busca gerar energia por meio de sistemas solares e que regulamentam a micro e a minigeração de energia no país. Além disso, nos últimos anos houve uma redução no valor dos equipamentos e mais facilidade de financiamento para aquisição deles. Em resumo, hoje fica mais fácil para qualquer pessoa ou empresa gerar sua própria energia elétrica utilizando fontes renováveis.
Como vivemos em uma região favorecida pela irradiação solar, os investimentos que as empresas fazem em energia fotovoltaica proporcionam bons retornos financeiros. Quando se usa um financiamento para instalar um sistema fotovoltaico, por exemplo, o retorno monetário ocorre entre cinco e seis anos, de acordo com o número de parcelas fechadas no empréstimo. Esse prazo de recuperação do valor investido acontece porque o custo que era usado para pagar as contas de luz mensais acaba sendo destinado ao pagamento das parcelas, já que o sistema de energia solar gera uma economia que varia de 50% a 95% no consumo.
 
A redução de gastos na conta de luz é referente ao chamado crédito de energia solar, que é um modelo de compensação de energia disponível nas instalações fotovoltaicas on grid – sistema conectado à rede da distribuidora local. Nesse modelo, quando a geração de energia solar do estabelecimento for superior ao seu consumo, créditos financeiros são acumulados para serem utilizados em até 60 meses. Isso significa que a energia gerada a mais pelas empresas é cedida à distribuidora local a título de empréstimo gratuito, enquanto a unidade consumidora passa a ter um crédito em quantidade de energia para utilizar.
 
Apesar de haver algumas dúvidas sobre energia solar, é importante destacar que o cenário brasileiro está mudando e, atualmente, o Brasil está na lista dos 15 países com maior capacidade de geração solar instalada. Um sinal dessa transformação é que o setor registrou R$ 52,7 bilhões em novos investimentos e abriu mais de 300 mil vagas de emprego desde 2012.
 
A energia fotovoltaica colabora para a preservação do meio ambiente, ajudando inclusive a reduzir a emissão de gases de efeito estufa no país, como é o caso do CO2 lançado na atmosfera. De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), a energia solar já evitou desde 2012 a emissão de 12,5 milhões de toneladas de CO2 no Brasil.
 
Em resumo, a energia solar é uma das mais sustentáveis do mundo, por ser renovável e limpa, uma vez que não utiliza matérias-primas escassas na natureza. Esse modelo de sistema também contribui para a diminuição da poluição sonora, já que seu funcionamento é silencioso e discreto, evitando a produção de ruídos desagradáveis.
 
Ao contrário de outros sistemas de geração, o modelo fotovoltaico quase não apresenta desgaste mecânico. Os painéis fotovoltaicos têm uma vida útil de cerca de 25 anos e na maioria dos cenários devem ser limpos a cada seis meses.
 
É notório que vivemos um período de transformações que estão afetando diretamente o nosso meio ambiente. Adotar um modelo de energia renovável é uma ação de conscientização socioambiental e de respeito ao planeta. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade