Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Exercício físico e a saúde óssea

A ginástica atua nos ossos da mesma maneira que nos músculos, ou seja, os deixa mais fortes


postado em 29/06/2020 04:00 / atualizado em 28/06/2020 21:21

Antônio Augusto Guimarães Barros
Ortopedista do Hospital Madre Teresa


A maioria das pessoas sabe que a prática regular de exercícios físicos reduz o risco de doenças cardiovasculares e previne a obesidade. Entretanto, não é muito difundida a importância da atividade para construir e manter ossos saudáveis. É preciso lembrar que os ossos, as articulações e os músculos sustentam o corpo, ajudando a ficar de pé e executar ações diárias. Infelizmente, os ossos se tornam mais fracos e frágeis com o envelhecimento, podendo provocar osteoporose, a perda acelerada de massa óssea, reduzindo a absorção de minerais e cálcio. Quem tem a doença apresenta risco maior de fraturas após pequenos traumas, como uma simples queda da própria altura. As fraturas provocam sequelas e diminuem a mobilidade.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que, até 2050, o número de pessoas com idade superior a 60 anos chegará a 2 bilhões,  representando um quinto da população mundial. Os idosos brasileiros passaram dos 28 milhões em 2019 e o  Ministério da Saúde estima que o número chegue a 43 milhões até 2031. Nesse cenário, é crucial observar  a importância de envelhecer com qualidade de vida.

As atividades físicas são fundamentais para manter a resistência e a força dos ossos. A OMS já confirmou, também, que a prática de exercícios de intensidade leve e moderada retarda o declínio físico e mental, contribuindo ainda com a gestão de emoções e desordens, como depressão e a demência.

A ginástica atua nos ossos da mesma maneira que nos músculos, ou seja, os deixa mais fortes. O osso é um tecido vivo e se adapta às forças em que é submetido. O exercício regular torna o osso mais denso e resistente e ainda melhora o equilíbrio e a coordenação, sendo especialmente importante em idosos por prevenir quedas e, consequentemente, fraturas.

A maioria das atividades físicas ajuda na manutenção da resistência óssea, como caminhada, corrida, dança, musculação, exercícios funcionais e até mesmo subir escadas. Um programa efetivo de atividades para a saúde óssea deve incluir, pelo menos, uma dessas práticas por 30 minutos diários, no mínimo quatro vezes por semana. O idoso deve fazer uma atividade que goste e sinta prazer para manter a motivação. Vale lembrar que, antes de iniciar uma atividade, a recomendação é consultar um médico para orientações sobre a melhor opção.

O exercício é benéfico ao sistema esquelético, mas é apenas um dos elementos importantes. Deve-se valorizar, também, os fatores genéticos e familiares e, claro, manter hábitos saudáveis. Manter uma dieta com cálcio de forma equilibrada, evitar o uso do cigarro e do álcool para garantir um envelhecimento ativo e com qualidade.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade