Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

ESPAÇO DO LEITOR


postado em 22/03/2019 05:06



DESIGN
Cumprimentos ao EM pela conquista de prêmios
Leonardo Corrêa Camargo – CCBB – Belo Horizonte
“Parabenizamos toda a equipe do jornal Estado de Minas pela conquista dos dois prêmios de excelência da 40a edição do concurso Society for News Design, com os trabalhos 'Carnaval 2018: respeito, diversidade e inclusão', primeira página publicada na edição de 12 de fevereiro de 2018; e 'Estradas da morte/Basquiat em Belo Horizonte', primeira página de 14 de julho de 2018. Para nós, do Centro Cultural Banco do Brasil, é um orgulho enorme um jornal de Minas ganhar um prêmio dessa magnitude, e ficamos ainda mais contentes que um dos temas dos trabalhos vencedores foi a exposição do Basquiat, que recebemos aqui no CCBB, em 2018.”

DESARMAMENTO
A sociedade deve cultivar a paz
Eliana França Leme – Campinas – SP
“O incentivo ao uso de armas como forma de defesa é o maior equívoco que se pode imaginar. Ninguém consegue se defender numa situação de pânico. Mas consegue morrer com sua própria arma. Deve-se ter em mente que quem está prestes a matar já tem dentro de si um poderoso instinto de morte. Armas devem ser usadas, unicamente, por quem está capacitado a usá-las em suas funções de trabalho, como policiais militares e civis, além de agentes de segurança treinados para tal. Civis, ao contrário, devem ser protegidos pelos primeiros. E só devem ter acesso a armas em casos muito especiais, como, talvez, em zonas rurais onde o cidadão vive em certo isolamento. Se estabelecermos uma simples conexão da facilidade para a aquisição de armas e crimes em massa, veremos que os EUA são os campeões mundiais nessa modalidade de tragédia e é lá onde se tem a maior liberdade para se adquirir armas de fogo. Uma sociedade deve ser incentivada a cultivar a paz a qualquer custo, como é no Japão e em todos os países onde sequer policiais portam armas. É nisso que devemos focar, mesmo com todas as dificuldades, mesmo dentro desse contexto desfavorável a isso. Mas os passos iniciais precisam ser dados. Ou cultivamos e desenvolvemos a cultura do pacifismo, ou adotamos a política do 'olho por olho, dente por dente' como querem o presidente Bolsonaro, seus filhos e seguidores, levando-nos a um terror sem fim de uma sociedade permeada pelo espírito da vingança como meio para o enfrentamento da violência. Proposta essa sedutora, por dar a enganosa impressão de que, assim, tudo se resolve com mais rapidez. Mas nunca nos esqueçamos de que as soluções que foram as mais bem-sucedidas são aquelas implementadas de forma sistêmica, levando-se em conta a complexidade dos fatores envolvidos e tendo clareza do diagnóstico e, portanto, com conhecimento de como cuidar do problema e salvar a sociedade de suas doenças sociais. Devemos nos debruçar sobre as causas e suas soluções com muito empenho, participação e união de todos. A outra opção é adotar a vingança como opção e consequente e contínua divisão da sociedade brasileira. Se nossa luta contra a violência e prevenção de tragédias tristíssimas, como a do fatídico 13 de março de 2019, é difícil e lenta, comecemos a enfrentá-la desde já com espíritos desarmados e desejo genuíno de buscar desencadear modelos pacíficos em nossa sociedade, em vez do modelo beligerante, tão defendido pelo lobby das armas.”

TRAGÉDIA
Leitor comenta nota de empresa
Jerónimo Amaral – Belo Horizonte
“De acordo com o Estado de Minas, a empresa alemã que atestou a segurança da barragem de Brumadinho diz que não confia mais nos critérios. É necessário saber quem estabeleceu tais critérios, para que venha defendê-los. Ou será que foram critérios estabelecidos pela própria empresa? Afinal, a falha teria sido dos 'critérios'?”

PRIORIDADES
Educação ruim gera mais violência do que a pobreza
Luiz Felipe Schittini – Rio de Janeiro
“A falta de autoridade e de educação são os grandes geradores da violência. O brasileiro tem muito receio de exercer a primeira, pois é confundida com autoritarismo. As crianças são criadas como se pudessem fazer tudo. Hoje, é difícil ver os pais e professores colocando limites. É como se educar fosse um ato autoritário. A falta de educação gera mais violência do que a pobreza. Pitágoras disse, há mais de 2.000 anos: 'Eduquem as crianças e não será necessário castigar os homens'.”


NO EM.COM.BR
BOLSA CAI E DÓLAR DISPARA COM PRISÃO DE TEMER
"Não dá para entender essa bolsa. Tinha é que melhorar, pois mais um ladrão do povo foi preso."
Márcio Francisco

"Como assim? A justiça está sendo feita."
Márcia Elena

"Deveria era subir e o dólar cair. Não entendo."
Lúcia Pereira


NO FACEBOOK
EX-PRESIDENTE TEMER É PRESO PELA LAVA-JATO
"Ser preso é fácil, o difícil é permanecer. Basta dizer que vai entregar todo mundo que, num instante, soltam ele."
Júlio Razec

"Para a alegria de todos os concurseiros no Brasil, o ex-presidente da República Michel Temer foi preso pela Polícia Federal. Temer foi um dos homens que destruíram o concurso público no Brasil, criando e a lei de controle de gastos do Estado, a reforma trabalhista e lei de terceirização no setor público. Ele fez os concurseiros sofrerem nos últimos anos. Agora chegou a vez dele, por tudo de ruim que fez para nós".
Marcelo Santos

" A política virou um grande Coliseu da Lava-Jato. É pão e circo para o povo ir ao delírio."
Fernando Bentes Monteiro

COBRADO, RODRIGO MAIA DIZ QUE MORO 'DESRESPEITA' ACORDO
"Tira o pé do freio e deixa o Brasil caminhar. Queremos muito mais do Legislativo federal."
José Francisco Nunes

 

"Moro conhece pouco de politica, e você? Conhece muito da velha política da corrupção, do toma lá da cá, né?"
Wilma Lima de Casto


"Com raras exceções, a política é um jogo de conveniências particulares que não objetiva o bem do todo, apesar de o discurso ser outro, sempre."
Joaquim Lins


Publicidade