UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Ao menos 12 unidades da Federação retomam restrições para evitar covid-19

Alta taxa de contágio da variante ômicron deixou governos estaduais em alerta


13/01/2022 08:02

Ao menos 12 unidades da Federação anunciaram restrições
Ao menos 12 unidades da Federação anunciaram restrições (foto: ERICKY BONIPHACE)

Com o avanço da ômicron e o aumento nas internações, estados e capitais retomarão as medidas de restrição e distanciamento social. Ao menos 12 unidades da Federação anunciaram restrições.

Em Alagoas, as prefeituras fiscalizarão o uso de máscaras e a limitação de público em shows e eventos. As regras fazem parte de um acordo entre as secretarias municipais e setores econômicos do estado.

No Amazonas, um decreto suspende a realização de grandes eventos e limita o público a 200 pessoas. A medida é por tempo indeterminado.

O Ceará suspendeu todos os eventos de pré-carnaval e o carnaval. Além disso, o público de eventos como casamento e formaturas foi reduzido a 250 pessoas — em ambientes abertos, o máximo é de 500 participantes.

Na Paraíba, João Pessoa reduziu para 80% a capacidade em eventos esportivos, bares, restaurantes, lanchonetes e lojas de conveniência, com distanciamento de 1 metro entre as mesas. A medida vale até 31 de janeiro.

São Paulo recomendou, ontem, que os municípios reduzam em 30% o público de grandes eventos. Segundo o Palácio dos Bandeirantes, cada prefeitura poderá adaptar as medidas de acordo com o cenário epidemiológico local.

Um decreto na Bahia estabelece 50% da capacidade de público dos eventos. O estado exigirá, ainda, comprovação da vacinação em bares e restaurantes.

No Distrito Federal, shows, eventos e festivais com cobrança de ingresso estão suspensos. E a retomada da obrigatoriedade das máscaras em locais abertos está sendo avaliada.

No Maranhão, o uso da máscara facial em locais fechados é obrigatório e o decreto do estado de calamidade pública foi prorrogado até 31 de março — o Rio Grande do Norte, por sua vez, renovou pela quarta vez a declaração de calamidade.

No Tocantins, Palmas suspendeu os eventos nos espaços públicos. E, no Piauí, as festas de carnaval e pré-carnaval também não acontecerão.

Já o Rio de Janeiro, com o avanço acelerado da ômicron, suspendeu o carnaval de rua e imporá restrições ao desfile das escolas de samba na Marquês de Sapucaí.

*Com Gabriela Chabalgoity, estagiárias sob a supervisão de Fabio Grecchi

 



Nova “Lei dos Puxadinhos” é sancionada no DF com anistia de multasJaneiro É o Mês da Saúde MentalTCDF analisa contas do governo Ibaneis em ano de pandemia






receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade