UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

COVID-19: governo atende pedido de prefeitos para aumento de testagem

Após ofício enviado pelo Consórcio Conectar, formado por 2 mil gestores municipais, o Ministério da Saúde vai enviar 6 milhões de testes na próxima semana


07/01/2022 10:25 - atualizado 07/01/2022 11:06

Teste de COVID-19
Ministério da Saúde vai enviar 30 milhões de testes aos municípios até o fim de janeiro (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Após reunião entre o Consórcio Conectar, formado por 2 mil gestores municipais, e o Secretário Nacional de Saúde, Rodrigo Cruz, nessa quinta-feira (06/01), o Ministério da Saúde vai enviar 6 milhões de testes de antígeno para COVID-19 na próxima semana, chegando a 30 milhões até o fim de janeiro. Preocupados com o avanço da variante Ômicron no país, os prefeitos haviam enviado um ofício ao órgão pedindo apoio para ampliar a testagem e expandir a capacidade de atendimento aos pacientes.

O grupo busca, também, ajuda na garantia do estoque de Tamiflu, remédio essencial para atravessar o momento de subida no número de quadros gripais. A demanda também foi atendida e está sendo providenciada , por meio de contrato do ministério com a empresa BioManguinhos, a unidade produtora de imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Na avaliação do Secretário Nacional, os próximos 15 dias serão críticos com o aumento do contágio no Brasil por conta da variante Ômicron e outras doenças respiratórias como a Influenza.
 

Um dos vice-presidentes da aliança de prefeitos é Duarte Nogueira (PSDB), prefeito de Ribeirão Preto (SP). Em entrevista ao Estado de Minas, ele ressaltou que o pedido é para se antecipar aos efeitos da COVID-19 e se preparar para dar assistência aos que procuram ajuda médica. "Há uma variável que nós, prefeitos, não controlamos: a disponibilidade de insumos, que é de responsabilidade do Ministério da Saúde. Daí a razão do nosso contato, para que nos mandem o Tamiflu, antigripal, e os testes, para a gente poder, na ponta, no mundo real, onde as coisas acontecem, evitar o máximo possível de danos maiores à saúde das pessoas", explicou.

O Ministério deve atualizar a orientação para isolamento de pacientes, de acordo com uma reavaliação técnica. Novos estudos indicam a diminuição do prazo de isolamento para pessoas assintomáticas, que passará para 5 dias, já as com sintomas, atualizará para 7 dias.
 

Ômicron

Depois do cenário de extrema dificuldade enfrentado no ano passado, a ideia é minimizar os impactos previstos para a Ômicron. Segundo um estudo feito pela Universidade de Washington, o Brasil pode atingir o pico de 1,3 milhão de infectados por dia pela COVID-19 em meados de fevereiro por causa da disseminação da variante.

Segundo o último boletim do Ministério da Saúde, divulgado na quarta-feira (5/1), o país tem 265 casos confirmados de Ômicron e há outros 520 em análise. Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, registrou a 1ª morte pela variante no país nesta quinta-feira (6/1).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade