UAI
Publicidade

Estado de Minas GERAL

Nobel de Física vai para três cientistas que estudam sistemas complexos


05/10/2021 08:22

O Prêmio Nobel de Física de 2021 foi dividido entre três cientistas que estudam sistemas complexos. Uma metade do prêmio foi concedida ao japonês Syukuro Manabe e ao alemão Klaus Hasselmann que, segundo a instituição, "estabeleceram a base de nosso conhecimento sobre o clima da Terra e como a humanidade o influencia". A outra metade ficou com o italiano Giorgio Parisi por suas contribuições revolucionárias à teoria de materiais desordenados e processos aleatórios.

Um sistema complexo de vital importância para a humanidade é o clima da Terra. Syukuro Manabe demonstrou como o aumento dos níveis de dióxido de carbono na atmosfera leva ao aumento da temperatura na superfície da Terra. Na década de 1960, ele liderou o desenvolvimento de modelos físicos do clima da Terra e foi a primeira pessoa a explorar a interação entre o balanço de radiação e o transporte vertical de massas de ar. Seu trabalho lançou as bases para o desenvolvimento dos modelos climáticos atuais.

Cerca de dez anos depois, Klaus Hasselmann criou um modelo que liga o tempo e o clima. Isso explica por que os modelos climáticos podem ser confiáveis, apesar do tempo ser mutável e caótico. Ele também desenvolveu métodos para identificar sinais específicos que os fenômenos naturais e as atividades humanas imprimem no clima. Seus métodos têm sido usados ara provar que o aumento da temperatura na atmosfera é devido às emissões humanas de dióxido de carbono.

Por volta de 1980, Giorgio Parisi descobriu padrões ocultos em materiais complexos desordenados. Suas descobertas estão entre as contribuições mais importantes para a teoria dos sistemas complexos. A partir de seus estudos, é possível entender e descrever muitos materiais e fenômenos diferentes e aparentemente inteiramente aleatórios, não apenas na física, mas também em outras áreas muito diferentes, como matemática, biologia, neurociência e aprendizado de máquina.

O prestigioso prêmio vem com uma medalha de ouro e 10 milhões de coroas suecas (mais de R$ 6,1 milhões). Metade do valor será dividida entre Syukuro Manabe e Klaus Hasselmann e a outra metade ficará com Giorgio Parisi. O prêmio em dinheiro vem de uma herança deixada pelo criador do prêmio, o inventor sueco Alfred Nobel, que morreu em 1895.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade