Publicidade

Estado de Minas POLÊMICA

Farm faz ação de vendas em homenagem a Kathlen e é acusada de racismo

Grife criou um cupom para compras em que a comissão é revertida em apoio à família da vendedora


09/06/2021 15:19 - atualizado 10/06/2021 13:49

Kathlen morreu atingida por uma bala perdida durante operação da Polícia Militar, no Rio(foto: Reprodução)
Kathlen morreu atingida por uma bala perdida durante operação da Polícia Militar, no Rio (foto: Reprodução)
A grife Farm anunciou, em uma publicação no Instagram, na tarde desta quarta-feira (9/6), um cupom para compras em homenagem a Kathlen de Oliveira Romeu, atingida durante troca de tiros durante uma operação policial nesta terça-feira (8/6). A jovem de 24 anos estava grávida e era funcionária de uma loja da marca. 

Na postagem, a grife escreveu que “toda a venda feita no código de Kathlen - XXXX - terá sua comissão revertida em apoio para sua família”. Além disso, a Farm lamentou a morte de Kathlen e do bebê. 

“Sabemos que nada que fizermos poderá trazer Kath de volta, mas nos comprometemos a acelerar ainda mais nossos processos de inclusão e equidade racial para transformar as cruéis estatísticas que levam vidas jovens negras como a de Kath a cada 23 minutos no nosso país”, afirma a marca no comunicado oficial.

O post da Farm com uma arte escrita #JustiçaPorKathlen tem 15,5 mil curtidas e 10,9 mil comentários. 



Acusações de racismo


Entretanto, a ação da grife não foi bem vista nas redes sociais e a Farm foi acusada de racismo. “Farm querendo ganhar dinheiro com a morte de uma mulher preta, realmente o Brasil está lascado!!!”, disse um internauta no Twitter.

“A Farm realmente achou maneiro fazer ação pras pessoas comprarem com o código de uma vendedora negra que foi assassinada pela PM para reverter o lucro pra família dela? Uma empresa do tamanho da Farm não pode prestar assistência a uma família desamparada sem gerar venda?”, escreveu uma internauta. 

“A Farm oferecendo comissão de vendas em cima de um código de descontos pra família da Kathlen, executada pelo Estado grávida de 14 semanas, é um novo e ainda mais chocante episódio de monetização das nossas vidas em um nível que eu sequer me lembro de já ter visto tão baixo”, comentou outra pessoa via Twitter.

A sessão de comentários, na publicação oficial da Farm, no Instagram, também foi espaço para críticas à marca. “Não é possível”, comentou o cantor e ex-The Voice Brasil, IZRRA.

“Isso é um absurdo. Estão capitalizando em cima da morte de uma pessoa preta. Não, gente, pelo amor de Deus, não. Se querem ajudar, simplesmente ajudem, cupom ?”, afirma um comentário com 1661 curtidas.

Comunicado


Após a polêmica, a Farm se desculpou com os seguidores e com a família da Kathlen. Em um comunicado oficial enviado ao Estado de Minas por representantes da empresa, a marca afirmou que reverterá integralmente o valor das vendas do código para a família. 

No perfil oficial do Instagram, a grife também postou uma nota de desculpas com uma arte escrita "ERRAMOS".  "Com vocês, entendemos a gravidade do que representou esse ato", escreveu.
 

Leia a nota da FARM na íntegra:  

"COMUNICADO OFICIAL 

A FARM vem a público se desculpar pela ação que envolveu o uso do código de vendedora de  Kathlen Romeu nesse momento tão difícil.  
Entendemos a gravidade do que representou esse ato, por isso, retiramos de uso o código E957. 
Reverteremos integralmente 100% das vendas geradas através do código no dia de hoje para  sua família. E reforçamos que vamos continuar dando todo o apoio necessário de maneira  independente, como fizemos desde o primeiro momento em que recebemos a notícia. 
Olhamos hoje para FARM com a consciência da nossa função social na redução das desigualdades  e seguiremos acelerando todos os nossos programas de inclusão e equidade. Agora o momento é de luto e acolhimento".

Veja comentários: 


* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade