Publicidade

Estado de Minas OSASCO

'Em nome de Jesus', vândalos destroem peças sacras em igreja de São Paulo

Quatro pessoas destruíram sete imagens e danificaram templo católico. Segundo padre, eles fugiram de ônibus e disseram ter agido por 'Jesus'


05/05/2021 11:09 - atualizado 05/05/2021 11:32

Vídeos mostram imagens destruídas dentro da igreja na última segunda-feira(foto: Reprodução da internet/Facebook/Paroq.NS.Remedios)
Vídeos mostram imagens destruídas dentro da igreja na última segunda-feira (foto: Reprodução da internet/Facebook/Paroq.NS.Remedios)
 
As polícias de São Paulo estão à procura dos quatro criminosos que invadiram e vandalizaram a Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, em Osasco, na Grande São Paulo.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do estado, na noite da última segunda-feira (3/5), dois homens e duas mulheres, ainda não identificados, depredaram o templo, que fica no Bairro Remédios. 

“De acordo com um padre, ele ouviu ruídos na igreja e, ao verificar o que se tratava, se deparou com o quarteto. Ao notar a presença do homem, eles empreenderam fuga”, informou a secretaria, por meio de nota ao Estado de Minas enviada nesta quarta (5/5). “Ao todo, foram quebradas sete imagens de santos, três vasos sanitários, duas portas, um espelho e 12 vasos de plantas”. 

Ainda de acordo com a secretaria, o caso foi registrado na 3ª Delegacia de Política de Osasco como dano. A Polícia Civil solicitou perícia ao Instituto de Criminalística. 



Em entrevista ao G1, o padre Amauri Baggio conta que correu e chegou a alcançar os vândalos e questionar o motivo do ataque. “Aí falaram, ‘a gente fez em nome de Jesus’”, explicou. Ainda na entrevista, ele disse que os criminosos fugiram de ônibus e o motorista, mesmo após ser informado de que eles estavam envolvidos em um crime, disse que tinha horário a cumprir e seguiu viagem.

A Paróquia Nossa Senhora dos Remédios divulgou vídeos no Facebook para mostrar os estragos na igreja. A perícia foi realizada ontem (4/5) e, conforme postagem do padre Baggio, o Museu de Arte Sacra avalia a possibilidade de restaurar as imagens. As celebrações foram retomadas. 

O prefeito de Osasco, Rogério Lins (PODE), prestou solidariedade à igreja. “Ato de vandalismo e intolerância religiosa. Inadmissíveis. É importante que a gente ajude a identificar e a punir esses malfeitores”, disse em um vídeo. 




receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade