Publicidade

Estado de Minas

Fintech lança campanha de combate à violência doméstica

Portal que atende a mais de 4 milhões de trabalhadores será um meio para a busca de soluções acerca do crescimento dos casos no Brasil com a pandemia


03/05/2021 13:30 - atualizado 03/05/2021 13:44

(foto: Tumisu/Pixabay )
(foto: Tumisu/Pixabay )

O combate à violência doméstica ganhou mais uma parceira no Brasil. A exemplo das ações de responsabilidade social concretizadas por grandes empresas privadas, a fintech Zetra passará a disponibilizar em seu portal digital de consignações, o eConsig, um botão de emergência para que as mulheres trabalhadoras possam denunciar agressões.

A novidade, disponível no link https://www.zetra.com.br/nao-violencia-contra-mulher/ estará acessível para mais de 4 milhões de usuários da plataforma em todo o Brasil. "A maioria (53%) dos usuários da nossa tecnologia é composta por mulheres. Infelizmente, historicamente ainda é um grupo de pessoas extremamente vulnerável. Por isso, a partir de agora, elas poderão usar nosso aplicativo como um canal discreto para buscar ajuda das autoridades e denunciarem abusos", afirma Rosy Araujo, fundadora e conselheira da Zetra.

Live

Nesta segunda-feira (3/5), às 15h, no canal da Zetra no Youtube, será realizada uma live com a participação da escrivã de Polícia Civil, Ana Rosa Campos, que desenvolveu o projeto FRIDA. A iniciativa digital, criada em Minas Gerais, promove a inclusão social e possibilita o atendimento a vítimas da violência doméstica via WhatsApp.

"Nosso objetivo é utilizar as novas ferramentas e tecnologias para gerar visibilidade para problemas crônicos que foram agravados com a pandemia e que podem ter boas respostas a partir do uso eficiente da internet e da tecnologia da informação", afirma a delegada.

A violência doméstica na pandemia


O isolamento social mudou drasticamente a vida das pessoas. As mulheres em condições de vulnerabilidade e os idosos, por integrarem o principal grupo de risco, precisaram conviver por mais tempo com seus parentes. A ideia de mantê-los por perto tinha o objetivo de protegê-los. No entanto, a convivência que era menor, devido à jornada de trabalho, compromissos externos e todas as atividades do dia a dia, acabou gerando uma série de problemas e muitos casos de agressões físicas.

"Nós identificamos situações que já eram muito sérias e se tornaram perigosas com a pandemia da COVID-19. E isso resultou em números assustadores. Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, em 2020, foram registradas 105.671 denúncias de violência contra a mulher, tanto do Ligue 180 (central de atendimento à mulher) quanto do Disque 100 (direitos humanos)", indica Isabella França, titular da Divisão Especializada em Atendimento à Mulher, ao Idoso, à Pessoa com Deficiência e Vítimas de Intolerância, apoiadora da iniciativa e presença na live sobre a violência doméstica da fintech Zetra.

Serviço:
Live sobre Violência Doméstica: 03/05 às 15h
Link: http://bit.ly/ZetraVideosBR


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade