Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Índia diz que vai exportar vacina de Oxford para o Brasil nesta sexta-feira

Imunizantes fabricados no Serum Institute of India foram desenvolvidos pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford


21/01/2021 14:00 - atualizado 21/01/2021 19:02

Vacinas vindas da Índia são desenvolvidas pela farmacêutica britânica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford(foto: AFP)
Vacinas vindas da Índia são desenvolvidas pela farmacêutica britânica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford (foto: AFP)

Depois de uma negativa inicial, o governo da Índia decidiu exportar vacinas contra a COVID-19 para o Brasil. Segundo o declarou o secretário de Relações Exteriores indiano à agência de notícias Reuters, as vendas devem começar nesta sexta-feira (21/01).

O primeiro carregamento vindo da Índia deve desembarcar no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, neste sábado.


As vacinas vindas da Índia são desenvolvidas pela farmacêutica britânica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. Os imunizantes estão sendo fabricadas no Serum Institute of India, o maior produtor mundial de vacinas, que recebeu pedidos de países de todo o mundo.


Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que um avião partiria de Recife para importar as vacinas indianas. Contudo, a Índia suspendeu a exportação de doses até começar a vacinar sua própria população.


Depois disso, o governo indiano divulgou uma lista de seis países para os quais venderia os imunizantes, excluindo o Brasil.


 

Pela manhã, antes do anúncio do governo indiano, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, havia dito que não sabia quando as doses vindas do país asiático chegariam ao Brasil

“Com relação à vinda das vacinas da Índia, as notícias são muito boas, mas não há a data exata da decolagem. Ela será dada nos próximos dias. Próximos dias é muito próximo, por causa da posição indiana nesse desenho, não nosso”, disse o ministro, após evento de lançamento do projeto ImunizaSUS, do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Segundo Pazuello, nesse caso, o que está pendente é a liberação do Ministério da Saúde da Índia. “Nós queremos, nós contratamos, nós pagamos, fizemos o empenho, temos o documento de importação e já temos o documento de exportação. É apenas nesse caso, sim, a liberação do Ministério da Saúde indiano que está sendo discutida”, informou.

 

 

 

Questionado pelo Correio se o problema com a importação das vacinas da Índia é político, o ministro afirmou: “Acho que é só [devido ao] período da vacinação na Índia, mais nada”.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade