Publicidade

Estado de Minas Meio Ambiente

Pantanal registra o mês de outubro com mais queimadas desde 1998

O ano de 2020 já é considerado o pior para o bioma


29/10/2020 14:28 - atualizado 29/10/2020 15:21

Número de focos de incêndio bateu recorde no mês de outubro no Pantanal (foto: Mauro PIMENTEL/AFP)
Número de focos de incêndio bateu recorde no mês de outubro no Pantanal (foto: Mauro PIMENTEL/AFP)
Até esta quinta-feira (29), o Pantanal registrou um número recorde de queimadas para o mês de outubro. Com levantamento feito até o dia 28, foram 2.825 focos de incêndio, o maior número já detectado pelos satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) desde 1998, quando o monitoramento teve início. 

Antes disso, o recorde era de outubro de 2002, com 2.761 focos de incêndio. 
 
Em comparação com o mesmo período de 2019, que teve 1.887 focos até o dia 28, o aumento foi de 49,7% neste ano. A quarta-feira (28) teve o maior número de focos registrados em um único dia desde 14 de outubro, quando foram contabilizados 245 pontos de calor.

O ano de 2020 é o pior para o bioma desde que o acompanhamento dos incêndios na região começou. Mesmo ainda faltando dois meses para terminar, o ano já acumula 21.084 pontos de calor detectados pelo Inpe - maior total já registrado.

Antes dele, o ano com mais queimadas foi 2005, com 12.536 focos de incêndio detectados ao longo dos 12 meses. Em 2020, o aumento foi de 68,18%.

No acumulado, o total de queimadas no Pantanal em 2020 já contabiliza mais do que a soma dos anos de 2019 (10.025), 2018 (1.691) e 2017 (5.773), que juntos tiveram 17.489 focos de incêndio.
 
*Estagiária sob supervisão da subeditora Kelen Cristina


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade